Geral

Evento com o apoio do Estado estimula regularização de agroindústrias no Norte Pioneiro

Encontro em Tomazina reuniu produtores, representantes de prefeituras, governo estadual e governo federal para debater meios de ampliar a comercialização da agricultura familiar.

AEN

O Encontro Regional de Regularização de Agroindústrias, que aconteceu nesta sexta-feira (03) em Tomazina, no Norte Pioneiro, reuniu produtores, representantes de prefeituras, governo estadual e governo federal para debater meios de ampliar a comercialização da agricultura familiar. A região de Santo Antônio da Platina, que engloba 22 municípios – entre eles Tomazina – possui 275 agroindústrias, segundo o Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná Iapar-Emater (IDR-Paraná), um dos promotores do evento.

Apoiar essas iniciativas é uma forma de gerar mais densidade de renda no campo e qualidade de vida para a população, segundo o secretário estadual da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara. “Estamos encontrando formas de superar, em conjunto, dificuldades do pequeno produtor e ter a chance de abastecer o Paraná. Pela força das lideranças técnicas podemos articular projetos para que a região possa gerar mais oportunidades”, afirmou.

Uma das prioridades do governo estadual para impulsionar as agroindústrias é o Susaf – Sistema Unificado Estadual de Sanidade Agroindustrial Familiar, Artesanal e de Pequeno Porte, uma iniciativa que, por meio da integração dos serviços de inspeção municipais, permite a ampliação da comercialização em todo o território paranaense.

“A intenção desse encontro, reunindo os setores que trabalham com inspeção, é muito interessante para que todos possamos ter o mesmo referencial e nível de informação para trabalhar”, destacou o diretor-presidente da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), Otamir Cesar Martins.

Além do Sistema Estadual de Agricultura, lideranças municipais da região e produtores, o evento reuniu representantes da Secretaria de Estado da Saúde, Casa Civil e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

INSPEÇÃO – O funcionamento e as diferenças entre os serviços de inspeção municipal, estadual e federal, que garantem às agroindústrias a comercialização, foram apresentados para a gerente de Inspeção de Produtos de Origem Animal da Adapar, Mariza Koloda Henning. Ela defendeu que essas são ferramentas de desenvolvimento regional e segurança alimentar. “O serviço de inspeção é algo que vem para ajudar o produtor, orientá-lo sobre como produzir um alimento seguro”, disse.

Para isso, em âmbito local, é necessário que as prefeituras possuam um Serviço de Inspeção Municipal (SIM) estruturado, com um médico veterinário responsável pelo processo. “Isso representa mais agroindústrias formalizadas, agregação de valor ao produto local e mais saúde para a população”, completou.

Para ampliar a comercialização das agroindústrias para além do seu território, os municípios podem fazer parte do Susaf. Com o selo impresso nas embalagens ou rótulos, as agroindústrias inspecionadas e indicadas pelo SIM podem vender os produtos de origem animal nos outros municípios do Estado.

O Susaf foi criado por lei no Paraná em 2013, mas regulamentado somente em 2020. Desde então, já são 15 municípios integrados: Barracão, Francisco Beltrão, Cascavel, Chopinzinho, Cianorte, Coronel Vivida, Dois Vizinhos, Itapejara d’Oeste, Santa Helena, Salgado Filho, Mauá da Serra, Realeza, Santa Isabel d’Oeste, Sulina e Toledo.

Outros 30 estão em processo de adesão. O programa é destinado especialmente à agroindústria familiar e às de pequeno porte.

EXTENSÃO – Para o diretor-presidente do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná Iapar-Emater (IDR-Paraná), Natalino Avance de Souza, o encontro representa um compromisso com uma atividade fundamental num estado que vive da pequena agricultura. “Nós temos muito a evoluir. O IDR-Paraná tem a missão de promover renda, qualidade de vida e sustentabilidade para o pequeno produtor”, destacou.

O prefeito de Tomazina, Flávio Zanrosso, disse que a aproximação entre os setores que trabalham com inspeção traz bons resultados. “Essa conversa pode gerar um embrião para resolver a situação da agroindústria, resolver demandas da comunidade e quem sabe criar em uma nova feira em Tomazina”, afirmou.

A programação, que integra a 1ª Rural Fest de Tomazina, contou ainda com o engenheiro agrônomo do Instituto na região de Santo Antônio da Platina, Alfredo da Costa Alemão, e da coordenadora estadual de Agroindústrias, Karolline Marques da Silva.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Uia!!!