CulturaEditorias

Acervo do fotógrafo José Tanko será restaurado

Fotografias, negativos, filmes, documentos e acessórios que compõem o acervo histórico de Santo Antônio da Platina serão cedidos para restauração à equipe do Museu Campos Gerais (MCG), da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). O acervo é composto em sua maioria por artigos pertencentes ao fotógrafo José Tanko (1915-1992) doados pelo seu filho, o fotógrafo e professor de artes Paulo Tanko.

Os objetos foram retirados nesta quinta-feira, 03, da Casa da Cultura Platinense, onde estavam armazenados, e levados para o Museu Campos Gerais, em Ponta Grossa.

A recuperação do acervo é resultado de um convênio da prefeitura municipal com a UEPG através do Departamento Municipal de Cultura, no qual prevê a cessão de uso dos objetos para que historiadores e museólogos trabalhem na recuperação dos artigos danificados, digitalização das fotos, documentação e pesquisa histórica do acervo. O convênio também prevê que a universidade realize exposições fotográficas anuais para visita do público e disponibilize arquivos digitais para pesquisa.

“Ficamos felizes com o resultado dessa parceria pois daremos a destinação necessária a estes artigos que estavam em situação precária e sem condições de exposição ao público. Com a recuperação do acervo, teremos condições de em pouco tempo disponibilizar o acesso online principalmente das fotos, que são o retrato da nossa história e futuramente dar o início ao planejamento do nosso museu”, declarou a diretora municipal de Cultura Aline Damásio.

O acervo possui 62 anos de história iconográfica de Santo Antônio da Platina e de todo o norte pioneiro do Paraná e atravessa três gerações de fotógrafos da mesma família – José, Paulo e Guilherme. O romeno José Tanko veio ao Brasil ainda jovem e se estabeleceu em Santo Antônio da Platina em 1942, quando criou a popular casa de fotos, que durou até 2004. Nesse período somam-se mais de 190 mil clientes,conforme informações dos livros de registro que compõem o acervo.

As tratativas para o convênio tiveram início em 2020 com o professor Niltonci Chaves, diretor do MCG, que deu início aos processos de inventário do acervo, juntamente com a pesquisadora e professora de história Ruhama Sabião, que é platinense e foi responsável pela intermediação. “ O acervo do Foto Tanko tem uma importância muito maior do que a que até então atribuímos. Não integra somente a história de Santo Antônio da Platina ou do Norte Pioneiro, mas sobretudo a história do Paraná. Mais do que um fotógrafo de uma cidade do interior, foi um intelectual e artista do seu tempo, que registrou a vida de famílias, trabalhadores, fazendas, igrejas, escolas, da cidade e seus eventos, entre outras temáticas queridas por ele. Seu acervo é a memória viva da história de Santo Antônio da Platina e região, por isso, as expectativas quanto ao futuro são as melhores, pois sabemos que nas mãos dos profissionais certos e que reconhecem esse valor, essa história retornará a nós e nos trará muito mais orgulho da nossa cidade jóia do que já temos” declarou.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Uia!!!