Policial

Polícia Civil platinense
elucida homicídio brutal

Disputa por posse de imóvel levou criminoso tentou a matar a vítima cortando a garganta de mulher

Reinaldo Juarez Gomes, acusado do crime, teria envolvimento com Karin Dias Belo, filha da vítima; casa (imagem abaixo) seria o epicentro do crime

Da Redação

A Polícia Civil de Santo Antônio da Platina elucidou o brutal homicídio ocorrido no dia 23/11/2022, no Bairro Vila Sete, ocasião em que um homem invadiu a residência e em posse do facão esgorjou a vítima (cortou a garganta), de Lilian Marlene Dias dos Reis, de 57 anos, e em seguida fugiu do local.

O que chocou a comunidade é que a vítima tinha uma vida pacata, aparentemente sem inimigos, gerando uma onda de suposições sobre a razão do crime.

Lilian Marlene Dias dos Reis, morte brutal aos 57 anos

A investigação empreendeu diligências e identificou como suspeito da autoria do crime Reinaldo Juarez Gomes, cujo paradeiro ainda é desconhecido. Foi também descoberto que este suspeito está tendo um relacionamento amoroso com Karin Dias Belo, filha da vítima e considerada mandante do crime.

De acordo com o aupurado, o motivo do homicídio seria o interesse da filha na casa da mãe, já que a mandante do crime era herdeira e não podia ainda exercer a posse, pois a vítima, Lilian Marlene Dias dos Reis, tinha o usufruto do imóvel.

As investigações foram encerradas e o Ministério Público ofereceu denúncia contra os dois, que se tornaram réus em processo criminal e acusados de homicídio qualificado pela torpeza e uso de meio cruel e que impossibilitou a defesa da vítima. A denúncia já foi recebida pelo juízo da Vara Criminal da Comarca.

O delegado representou pela prisão dos envolvidos, a qual foi decretada pelo juízo criminal. A foto e o nome dos suspeitos estão sendo divulgados nesse momento por interesse público já que os acusados são considerados foragidos da Justiça.

Quaisquer informações entrar em contato com a página da delegacia nas redes sociais e telefone 43-3534-8902 ou enviar mensagem de Whatsapp para Polícia Militar (43-99150-0190) ou 190.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Uia!!!