Política

Requião Filho admite candidatura do pai, mas vê dificuldades no MDB

Em visita à Tribuna do Vale, deputado estadual afirma que Assembleia não cumpre seu papel institucional

Da Redação


O deputado estadual Requião Filho (MDB) está realizando uma incursão pelas bases de seu partido na região e, na etapa de Santo Antônio da Platina, visitou a redação da Tribuna do Vale, quando concedeu entrevista exclusiva falando de seus projetos políticos e da provável candidatura de seu pai, ex-governador e ex-senador ao governo do Paraná, Roberto Requião.

O parlamentar admite um cenário difícil diante do que chama poder econômico exercido pelo atual governador, Ratinho Junior (PSD), que na sua avaliação coopta prefeitos, deputados e imprensa, deixando espaço mínimo para a oposição.

“Vai ser uma disputa, de um lado, aqueles que querem mudanças, um governo voltado aos paranaenses e, de outro, os que buscam o poder pelo poder, com prevalência de interesses corporativos”, assinala, reconhecendo que isso ocorre dentro de seu próprio partido, com uma ala de emedebistas que querem aderir ao atual governo.

Em seu característico tom ácido, Requião Filho reconhece que este grupo de deputados dentro do MDB quer o partido engajado ao governo, tendo como moeda de troca o tempo de rádio e TV e, Ratinho Junior, por sua vez, usa os cofres que comanda desde o Palácio Iguaçu.

O parlamentar não foi menos ácido com seus colegas de Assembleia Legislativa, cuja maioria, na sua avaliação, age de forma adesista, aprovando tudo o que o governo impõe, mesmo matérias consideradas ilegais, como o projeto do Executivo que concede gratificações aos integrantes do Ministério Público Estadual (PMPR).

“A Assembleia, lamentavelmente, não exerce seu papel constitucional, que é de fiscalizar o governo. O poder do Estado exerce pressão e, quem vota contra, é retaliado. Todos os funcionários públicos do Paraná perderam os benefícios que recebiam, mas o Legislativo estadual, em tom de subserviente obediência, vota uma matéria do governo reconhecidamente ilegal, para ficar de bem com o Ministério Público”, extravasou.

Fachada
Numa rápida análise sobre o desempenho do governo Ratinho Junior nesses quase três anos e meio de gestão, ele clássica como um governo de “fachada”, que coloca placas publicitárias em obras bancadas pelas concessionárias de pedágio.

“O que esse governo tem para mostrar aos paranaenses? Inexiste no campo social! Onde estão as moradias para as famílias mais carentes?”, questiona, concluindo que o julgamento será exercido pela história.

Finalizando Requião Filho admite que nas eleições de 2022 buscará sua permanência na Assembleia Legislativa, como integrante do grupo de parlamentares comprometidos com os verdadeiros interesses da população paranaense.

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto:

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios