Cadernos

Requião atrai centenas de lideranças em Londrina

Etapa da Caravana Requião reuniu participantes de diferentes partidos políticos de toda região, movimentos sociais e sindicais.

Assessoria

Caravana em Londrina lota auditório do Crystal Palace – Bruno Tresse

Mais uma vez com casa cheia, a Caravana Requião vem demonstrando que a população do Paraná está mesma engajada em promover uma grande mudança em sua administração estadual. Centenas de participantes de diferentes partidos políticos de toda a região, movimentos sociais e sindicais, estiveram reunidos no oitavo encontro pluripartidário que está percorrendo o estado para mobilizar uma frente ampla que pretende trazer de volta a esperança.

Assim como nas palavras do deputado e presidente do PT do Paraná, Arilson Chiorato, a Caravana é o movimento que acolhe o povo e tem um olhar especial para discutir um Estado melhor para todos e todas.

“Queremos de volta aquele Paraná que defendeu e investiu nos educadores e teve a melhor a educação pública do Brasil. Que tratou a saúde de maneira descentralizada e que nos momentos difíceis da economia ajudou os pequenos com tarifas sociais de agua e luz, olhou para os micro e pequenos empresários e deu um salto em crescimento”.

E para falar dessa política de transformação, a Vereadora Lenir de Assis, do PT de Londrina, agradeceu a presença de Requião e das lideranças presentes.

“Essa casa cheia hoje é um sinal de resistência! Estamos aqui porque queremos um Brasil novo, diferente do que está aí. Todos aqui querem você de volta, Requião. Londrina vai fazer parte dessa mudança. Queremos ter de volta nossos direitos respeitados”.

Representando o PDT da região, Homero Barbosa Neto, ex-deputado estadual e ex-prefeito de Londrina, também confirmou que, pelos quatro cantos do Paraná há uma grande mobilização de apoio pela pré-candidatura de Requião.

“Essa semana tive o prazer de entrevistá-lo e, logo depois, começaram a chegar várias mensagens de pessoas simples de toda parte, de municípios distantes, da área rural e todos querendo a volta do Requião como Governador. Queremos de novo tarifas sociais nas contas de luz que hoje esfolam o povo paranaense. A volta dos programas sociais, como o trator solidário, a irrigação noturna, e tantos outros. Queremos de volta a Sanepar com controle do Estado, para que possa baratear novamente as tarifas e isentar as pessoas de baixa renda que não podem pagar. A volta de Requiao nunca foi tão necessária, tão urgente”.

Caravana Londrina – Foto_ Cauhê Sanches

Em seguida, a presidente do PT de Londrina, Giane de Souza Silva está otimista e fez questão de enaltecer a força que Requião representa para a mudança que o Paraná espera no próximo ano.

“Estamos começando uma batalha que será vitoriosa, que terá Requião Governador. Viva o povo de Londrina e Viva o Requião”.

Também presente no evento, o ex-deputado e ex-prefeito de Arapongas, Waldyr Pugliesi (MDB), falou que no próximo ano os paranaenses têm a obrigação de eleger Requião Governador. Fez duras críticas aos líderes de seu partido e que, depois da ditadura, nunca o envergonhou tanto pela falta de apoio à população.

“Esse MDB que aí está não representa ninguém, a não ser os latifundiários e esses caras de fora que não querem nada com o povo. Então nós estamos aqui, Requião, pra dizer que você é a personalidade que possui o maior patrimônio politico e administrativo que esse Estado já viu. Foi o melhor Governador de toda história desse Estado. Eu me lembro de tantas lutas que travamos e durante toda minha caminhada eu fiquei ao lado daqueles que defendem o povo, independente de outras coisas. Chega de mentiras, eles se elegem em cima de mentiras, e precisamos de você no Governo outra vez”.

Julia Maria, representando a Marcha das Mulheres, parabenizou às representantes presentes no evento que colocam sua força nessa batalha.

“Nós mulheres que estamos aqui, representando a classe trabalhadora da educação, precisamos fortalecer essa marcha e sabemos que dentro do Governo Requião finalmente teremos nosso espaço, como já tivemos. Queremos fortalecer as mulheres nessa luta e vamos firmes com Requião Governador”.

Na sequência, representando o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra, José Damasceno afirmou que Requião tem todas as condições para retomar o que foi perdido e que o MST está fechado com Requião.

“Estamos juntos fazendo parte de uma transformação, de uma caminhada que será vitoriosa e num momento muito especial da nossa nação. Precisamos resgatar a dignidade no povo brasileiro, o direito de sonhar e o direito de lutar. Precisamos resgatar nossos salários dignos, resgatar a dignidade no trabalho e de viver. Precisamos retomar a nossa soberania, a riqueza do nosso país e seu território que, literalmente, neste momento, está com as portas abertas para a entrada daqueles que apenas querem fazer especulação financeira da nossa terra. Queremos que as lideranças aqui presentes hoje estejam unidas para resgatar essa dignidade. Estamos juntos, Requião”.

Márcia Lopes de Souza, em nome de todos os professores das redes estadual e municipal de Londrina, relembrou as vitórias na Educação conquistadas no Governo Requião.

“Hoje, você aqui, renova nossas esperanças de dias melhores na Educação. Todos sabem o quanto estamos sendo penalizados, estamos em situação de abandono nas nossas escolas, com salários defasados, por isso precisamos muito abraçar a sua campanha, Requião. Nos chame que nós vamos, com certeza!”declarou.

Everson Vieira, presidente da Associação dos Estudantes Universitários Indígenas, destacou a importância da qualificação da população trabalhadora, em especial dos integrantes das comunidades indígenas do Paraná.

“Tivemos muitas vitórias no Governo Requião e queremos isso de volta porque o que está acontecendo na atualidade é muito triste. Não só com a comunidade indígena que mora na Amazônia, mas em toda a nossa região. Só aqui próximo a Londrina temos oito comunidades indígenas vivendo com ausência de qualquer tipo de projeto social voltado para elas. O índio é povo produtivo, trabalhador e estamos juntos com essa Carvana para construir essa mudança, para trazer esperança para todos, em especial neste momento que é muito importante e decisivo para a história do Paraná”.

Marcio Kieller, presidente da CUT, esteve presente em todos os encontros da Caravana e, nesta oitava reunião, ficou feliz de ver o movimento ganhando cada vez mais força e receber a adesão de mais apoiadores.

“Mais uma etapa, Requião, dessa caravana e com auditório lotado, reunindo tanta gente aqui na região, isso nos enche de esperança. Tivemos grandes retrocessos no atual governo, em especial a causas voltadas à diversidade, juventude, mulheres e tudo o que construímos nos governos populares, voltamos para trás. Precisamos dar um olhar especial a todos e todas. Temos um governo que quer desmontar o serviço público e a educação. Ataca a organização dos professores e professoras para elitizar, para entregar um estado mínimo. Queremos e precisamos de mudança, para só assim reconstruir a esperança para trabalhadoras e trabalhadores”.

Na sequência, o Vereador Fernando Peppes, do MDB de Cornélio Procópio, fez uma saudação rápida, lembrando as conquistas do Governo Requião e reafirmando o seu compromisso em apoio ao ex-governador e ex-companheiro de partido.

“Só com Requião conseguiremos resgatar o que foi perdido pelo povo do paranaense, e resgatar os programas sociais do luz fraterna e tantos outros”.

O Deputado Estadual Professor Lemos, do PT, falou desse processo de amadurecimento e dificuldade que o povo passou nos últimos anos, diante de tantas perdas de direitos.

“Nós acompanhamos o Requião como governador nos anos 90, foi um bom governo. Nos anos 2000, no seu segundo mandato, foi melhor que o primeiro. Mas o seu terceiro mandato foi muito melhor. E nós sabemos que o quarto mandato será excelente. O Requião, assim como nós, foi amadurecendo. Tivemos embates, fizemos muitas lutas, mas no Governo Requião tinha diálogo. Tinha espaço para o avanço e nós avançamos na educação, na saúde, segurança, em todas as áreas. Por isso, servidores públicos do nosso estado, na sua maioria esmagadora, está na caravana da esperança, porque quer Requião de volta, nesse quarto mandato que será, com certeza, excelente para o povo do Paraná. Precisamos do Requião! E ele aceitou esse desafio. Aos 80 anos está aqui, marchando conosco pelo estado, porque tem um compromisso com a democracia, com a pluralidade, com a diversidade e quer uma sociedade mais justa, onde possamos viver todos todas com dignidade. Por isso nós estamos contigo e vamos juntos tomar posse do Palácio Iguaçu no dia primeiro de janeiro de 2023”.

O Deputado Estadual Requião Filho, do MDB, também fez duras críticas a seu partido, mas afirmou que a alma de quem não se corrompeu com os outros continua intacta.

“Quando me perguntam o que aconteceu no MDB do Paraná e eu digo que ele foi sequestrado. E aqui em Londrina com todos os companheiros e companheiras isso fica claro; levaram a sigla, mas não levaram a militância e a alma do partido, que continua a mesma trabalhando pra quem precisa do estado. Cresci ouvindo meu pai falando que rico vive bem em Londrina, Curitiba, ou Nova York. Eles têm segurança privada, plano de saúde, escola particular para seus filhos, enquanto a população em geral não tem saúde, não tem escola, nem atenção de um governo sério. E assim fui vendo meu pai se eleger, sucessivas vezes, sempre trabalhando pelo estado do Paraná. E temos hoje um legado a ser defendido, de um governo que trabalhou para o trabalhador, para policial, o professor, o homem do campo, e isso precisa ser retomado.

Vemos que estamos no rumo certo com essa caravana. Queremos um Brasil um Paraná de oportunidades iguais para todos, para professores, para policiais, para sindicato, para o patrão, para agricultura familiar, e para o agronegócio. Está na hora de devolver o Paraná para os paranaenses”.

O Deputado Federal Zeca Dirceu, do PT, também destacou o legado de Requião nas transformações que ocorreram no Paraná, ao longo de sua história.

“As ações que você desenvolveu fizeram o Paraná o nosso orgulho. Na área da educação, que hoje é tão atacada e desprezada, Requião transformou a realidade das escolas e dos professores. Por isso hoje, cada um de nós aqui tem razoes para começar, diariamente, uma grande mobilização para que possamos chegar no ano que vem despontando nas pesquisas em primeiro lugar. Para que no ano que vem possamos ter uma eleição vitoriosa. Não será uma vitória só do Requião, mas de cada um que está aqui hoje e que sabe que o Paraná tem que ser governado para a maioria do seu povo, para quem trabalha, para quem produz, para valorizar os serviços públicos, para voltar a cumprir seu papel”.

Da mesma forma, o Deputado Federal Enio Verri, do PT, também falou dessa energia positiva que movimenta as caravanas e da esperança que isso traz para os paranaenses.

“É um grande prazer estar aqui, com esse auditório lotado e essa energia tão grande. Nós temos vivido sob um governo estadual que ecoa tudo aquilo que o Bolsonaro faz e ainda fica calado. O Ratinho é o Bolsonaro mudo, mais nada. Ele não faz nada. Ou melhor, ele só favorece os ricos e destrói o Paraná. Por isso só temos uma alternativa, Requião Governador. Temos que sair daqui desafiados, com a força da esperança de que o Paraná pode dar certo. Sonhos não envelhecem, a esperança de ter uma sociedade igualitária é a mesma que tenho de ver Lula Presidente e Requião Governador outra vez”.

Por fim, o discurso mais aguardado da noite foi o de Roberto Requião, que iniciou falando sobre o que tem dito sempre, sobre os motivos que o levam a caminhar pelo Paraná nesta caravana, no alto de seus 80 anos de idade.

“Estou aqui movido pela indignação, em especial quando vejo homens e mulheres fuçando em caminhões de lixo para garantir o almoço de suas famílias. Os mais pobres seguem comendo sopa de ossos e pés de galinha, porque aqui no nosso Paraná as tarifas de água e energia elétrica são desumanas, estão subindo sem nenhum sentido. Empresas públicas deveriam prestar serviços a população com preços módicos. Mas eles não estão fazendo nada. Nós no governo construímos duas hidrelétricas, enquanto que eles não têm sequer uma obra na Copel encaminhada. A Sanepar não tem reservatórios para superar uma crise hídrica. Eles têm lucros exorbitantes, mas como querem empresas de mercado, subordinadas a investidores privados, não investem em atender bem o seu próprio povo, porque estão mandando dinheiro pra fora, para investidores que sequer sabem onde fica o Paraná. Investiram na bolsa de valores e querem resultados. E estão sendo obtidos às custas do suor do povo, que mal consegue sobreviver”.

Requião ainda falou sobre vários problemas que envolvem a economia, como a exportação da produção agrícola que deixa a população passando fome e tendo que importar alimentos para ter o que comer.

“Somos o maior produtor de alimentos do planeta, mas nós estamos importando arroz e feijão, e o povo não tem comida. O agro vendeu sua soja aproveitando a desvalorização do real, e a valorização do dólar, e nós ficamos sem nada, estamos tendo até que importar óleo da soja que nós produzimos. Quando nós estávamos no governo, nenhuma uma empresa estrangeira teria o mesmo benefício fiscal que não fosse dado igualmente a uma empresa daqui”.

Neste momento, Requião lembrou os incentivos aos micro e pequenos empresários, as políticas públicas para geração de empregos e as medidas econômicas que possibilitavam o congelamento de tarifas de água e luz, num momento em que o povo estivesse passando necessidades. Lembrou dos programas como trator solidário, leite das crianças, irrigação noturna e falou de sua tristeza ao ver hoje a venda das nossas empresas públicas. O ex-Governador também criticou a falta de incentivos nas áreas de saúde, segurança e educação, lembrou o diálogo que teve com os movimentos sociais e a pacificação de tratamento entre a polícia e o MST.

Requião enalteceu que, mais do que mudança, o Paraná precisa entender a realidade em profundidade e compromisso com a população.

Ao final, Requião ainda avaliou as pesquisas do cenário nacional que apontam a vitória de Lula para presidente do Brasil.

“O Lula, sem nenhuma hipocrisia, é o próximo presidente da República, segundo as pesquisas. Mas ele precisa ter um programa claro em relação a devolução da dignidade de trabalho, da soberania brasileira, um posicionamento firme diante da estatização da Eletrobrás, e manter as empresas públicas nas mãos dos brasileiros. Precisamos mudar a política brasileira, precisamos de propostas que abram novamente o caminho para a discussão popular e que o povo vá formatando, eleição após eleição, a forma como quer ver a administração pública sendo organizada. Nada de exageros insustentáveis, nada de extremismos, mas abrindo caminhos para a evolução. O nosso Paraná tem evoluído, mas que avance em muitos setores, e se consolide no entendimento de que precisamos compreender o que acontece e abandonar essa política concentradora de renda, de domínio absoluto dos banqueiros, mandando nos juros e reservas cambiais, e transformando nosso povo em instrumento de trabalho. Temos que entender isso para podermos alcançar a transformação que queremos. Vamos tentar, a partir do Paraná, mostrar a todos que se pode fazer uma mudança no Brasil, com muito orgulho, com este velho de 80 anos que está aqui com vocês, e a disposição de vocês. Contem comigo, estamos juntos”.

O próximo encontro será na sede da Associação dos Municípios do Noroeste do Paraná, em Paranavaí, dia 2 de dezembro.

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto:

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios