Ponte Pênsil em Ribeirão Claro é incendiada

Da Redação

A Ponte Pênsil Alves Lima, localizada entre Ribeirão Claro e Chavantes, patrimônio histórico tombado do Paraná e São Paulo foi incendiada na madrugada deste sábado, 07. Segundo o Corpo de Bombeiros de Jacarezinho, a ocorrência foi registrada às 4h55. A ação rápida dos bombeiros impediu que as chamas se propagassem em toda extensão da ponte. Às 9h da manhã os profissionais ainda estavam no local fazendo o resfriamento do local. Ainda não se sabe as causas da origem do fogo, mas suspeita-se de incêndio criminoso.

https://tribunadovale.com.br/wp-content/uploads/2020/11/VIDEO-2020-11-07-08-54-35.mp4

A notícia revoltou internautas de ambos os estados, pedindo por investigação das autoridades, sendo um dos assuntos mais comentados na região na manhã deste sábado. O local é um dos cartões postais do Rio Paranapanema, e foi por anos a insígnia do município de Ribeirão Claro. A ponte faz parte da Rota das Águas e já foi cenário de premiações em concursos de fotografia, pela sua beleza e história. 

A ponte Alves Lima, patrimônio tombado, foi construída em meados da década de 20 e já foi vítima de três fatalidades. Foi destruída pela primeira vez em 1924, durante a Revolução Paulista, quando foi incendiada. Posteriormente em 1932, um novo confronto armado destruiu, desta vez com dinamite, a “ponte da esperança” durante a Revolução Constitucionalista. E a terceira tragédia aconteceu em junho de 1983, vitimada pela maior enchente de que se tem notícia na região. Mas ela foi recuperada dois anos depois. 

https://tribunadovale.com.br/wp-content/uploads/2020/11/VIDEO-2020-11-07-08-54-34.mp4

Uma placa, gravada em letras de chumbo, ilustra bem a trajetória histórica da única ponte pênsil do Paraná: “Em 1924 e 1932 revoluções armadas destruíram esta ponte. Em 1983 uma grande enchente a destruiu. Toda vez que um mal destruir um bem ele será reconstruído, para que não morra no coração dos homens a esperança. Jovens de Chavantes, 1985”.

Sair da versão mobile