CapaCidades

Joaquim Távora – Prefeitura adquire área para parque industrial sem avaliação ambiental

Terreno fica a 500 metros do rio Jacaré, estuário ecológico já comprometido pela poluição

Da Redação

A prefeitura de Joaquim Távora anunciou há poucos dias em sua página no facebook a aquisição de um terreno medindo 3 hectares onde pretende instalar o Distrito Industrial 2, com vistas a atrair médias e pequenas empresas para o município

“Com a intenção de fomentar o desenvolvimento do Município, o Executivo Municipal de Joaquim Távora recentemente fez um investimento na aquisição de uma área de terra que será para a futura implantação do novo Distrito Industrial 2. A área comprada possui 3 hectares e fica localizada a 2 Km do município tavorense, às margens da PR 218,sentido Carlópolis”, diz o primeiro parágrafo da nota veiculada no Facebook..

O que a prefeitura não explica é que o prefeito Reginaldo Vilela fez um investimento com dinheiro público sem averiguar se naquele local é possível instalar um empreendimento deste tipo. Para isso, deveria ter consultado organismos de controle ambiental, no caso o Instituto Água e Terra (IAT), antigo IAP, que avaliaria a situação.

O chefe do escritório regional do IAT em Jacarezinho, Marcos Antônio Pinto confirmou ter recebido denúncia de moradores de Joaquim Távora a quem explicou que não havia qualquer pedido de licença ambiental por parte da prefeitura e muito menos um pedido de análise da situação.

“Só me restou questionar a prefeitura e alertar para o problema. Este é um caso sério que vice se repetindo”, assinalou em contato por wattsapp.

O terreno adquirido pela prefeitura fica a cerca de 500 metros do rio Jacaré, um dos mais belos e ricos estuários ecológicos do Norte Pioneiro, mas que vem sendo destruído há décadas por um processo de poluição que inviabiliza seu aproveitamento como ponto de atração turística.

A bela cachoeira existente no local tem odor podre, de matéria orgânica em decomposição. O véu, que encanta visualmente, com a proximidade torna-se insuportavelmente fétido, mas, apesar das denúncias, tudo continua no mesmo.

Curioso é que, mesmo sem qualquer avaliação das autoridades ambientais, a prefeitura divulga que, com a instalação do novo Parque Industrial, as empresas interessadas poderão participar do credenciamento para o chamamento público, habilitação e classificação.

O prefeito Reginaldo Vilela (PODEMOS), diz que “este é o primeiro grande passo que damos no sentido de alavancar o desenvolvimento econômico-industrial em nossa cidade. Com os pés no chão, sem ludibriar as pessoas com promessas mirabolantes de “cidade industrial”, ou coisas do gênero, damos a resposta que o trabalhador espera, que é a ação efetiva”.

“Este novo parque industrial já nasce predestinado ao sucesso, vai alojar em pouco tempo empresas de pequeno e médio portes, gerando emprego e renda para a nossa gente, é um grande passo para o crescimento do município, a área proporcionará uma nova fase de investimentos para o desenvolvimento de nossa cidade”, assinalou em tom ufanista Vilela.

Para completar, mesmo sem qualquer avaliação ambiental, o texto conclui que “durante a semana a Secretaria de Obras está trabalhando na infraestrutura e terraplanagem do local, assim como busca de empresas do município ou de fora dele para se instalarem na cidade”.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Uia!!!