Geral

Índice de consumo das famílias paranaenses segue tendência de crescimento

Apesar de contexto econômico desfavorável, a intenção de consumo dos paranaenses e dos brasileiros mantém crescimento iniciado em julho do ano passado

Assessoria de Imprensa

O Índice de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) paranaenses segue a trajetória de crescimento. Segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR), o indicador ficou em 104,1 pontos em março, acumulando alta de quatro pontos percentuais (p.p.) no primeiro trimestre do ano. Este também foi o maior nível registrado desde abril de 2020, quando chegou a 109,3 pontos.

O Paraná permanece bastante acima da média nacional, que segue a tendência de crescimento do ICF e ficou em 78,1 pontos.

Mesmo com a inflação em alta, associada ao aumento dos juros básicos da economia pelo Copom em sua última reunião e com a promessa de nova elevação, aos impactos causados pela guerra entre Rússia e Ucrânia e à decolada dos preços dos combustíveis, a intenção de consumo dos paranaenses e dos brasileiros mantém o crescimento iniciado em julho do ano passado.

Quatro dos sete subíndices apresentaram elevação, com destaque para Emprego Atual (128,4 pontos), Perspectiva Profissional (103,7 pontos) e Renda Atual (150,5 pontos), que se mantêm acima do grau de satisfação (100 pontos).

O Nível de Consumo Atual (93,7 pontos), Perspectiva de Consumo (97,7 pontos) e Momento para Duráveis (64,8 pontos) são os três indicadores que, além de não atingirem o nível de satisfação, tiveram queda na comparação com o mês anterior.

Emprego

O indicador da situação no Emprego Atual manteve elevação mensal e registrou alta de 3,3% na comparação com fevereiro e alta anual de 5,4%, demonstrando ainda a maior pontuação desde março de 2020 (133,2 pontos). Da mesma forma, a Perspectiva Profissional dos paranaenses segue em crescimento. Desde fevereiro de 2015, quando marcou 106,5 pontos, que o indicador não chegava a um patamar tão alto.

Crédito

O item Acesso ao Crédito apresentou variação mensal positiva de 5,7%, apesar do encarecimento dos juros provocado pela alta da taxa Selic. Entretanto, a variação anual apresentou queda de 8,2%.

Perspectiva de consumo

O quesito Perspectiva de Consumo caiu 2,7% de fevereiro para março e por ainda estar abaixo dos 100 pontos, continua no patamar considerado insatisfatório. Porém na comparação com março de 2021, o subíndice demonstra melhora considerável de 21,9%, evidenciado uma recuperação, ainda que lenta, da intenção de consumo das famílias.

Momento para duráveis

Desde o início da pandemia, os consumidores paranaenses têm reduzido a compra de bens duráveis, geralmente de maior valor e que demandam parcelamento ou financiamento. O subindicador Momento para Duráveis vem sofrendo reduções consecutivas e caiu 24,5% em relação ao ano anterior e 8,6% na variação mensal, principalmente por causa dos juros altos e dos efeitos da guerra na Ucrânia. Com 64,8 pontos, é o menor índice da série histórica da pesquisa.

Análise por faixa de renda

As famílias com renda acima de dez salários mínimos possuem a maior pontuação do ICF, com 111,7 pontos. Contudo, o indicador tem apresentado constantes quedas desde o início do ano. Em sentido inverso, o ICF tem aumentado nas famílias de menor renda desde julho de 2021 e chegou a 102,4 pontos em março.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Uia!!!