Santo Antônio da Platina

Zezão sofre a pior derrota na Câmara de Vereadores

Na eleição de segunda-feira, oposição ocupa todos os cargos da Mesa diretora e complica futuro do prefeito

Da Redação


A inabilidade política da equipe do prefeito de Santo Antônio da Platina, José da Silva Coelho Neto (PHS), o Professor Zezão, poderá custar muitas dores de cabeça nos dois anos que restam de seu mandato tudo porque não soube conduzir o relacionamento com a Câmara de Vereadores. Na eleição para escolha dos novos membros da Mesa diretora do Legislativo, o Executivo ficou sem nenhum cargo, numa derrota que há muito não acontecia na cidade.

Normalmente a formação das chapas procura conjugar interesses das várias correntes políticas, mas no caso platinense, o amadorismo na condução do processo sucessório no Legislativo deixou claro que Zezão e sua equipe vão terminar o mandato sem aprender a fazer política. Tentaram impor o nome do vereador Luciano de Almeida Moraes (PTB), mais conhecido por Vermelho, provocando a dissidência de Odemir Jacob, o Breno (PHS), do mesmo partido de Zezão, que acabou atraindo os quatro votos da oposição.

Foi uma derrota humilhante. O prefeito, que tinha a maioria no Legislativo, não só perdeu o controle da Câmara, como não elegeu um só membro da Mesa diretora. Breno é o novo presidente a partir de janeiro de 2019, tendo na vice-presidência, Flavinho Maiorky (PSDB), Genivaldo Marques (PSDB), na primeira secretaria e, Rudinei Esteves, o Rudi (MDB), na segunda secretaria.

Pior: Zezão ficará sem o controle das principais comissões, principalmente a de Justiça e Redação, que controla os encaminhamentos dos projetos do Executivo, que deverá continuar nas mãos do vereador José Jaime Mineiro (PSDB).

Em seu discurso, Breno demonstrou equilíbrio, deixando claro que não promoverá uma gestão de confronto com o executivo, assinalando que, qualquer projeto encaminhado pelo prefeito em benefício da comunidade platinense terá seu voto de desempate, se for o caso.

O vereador Mineiro, que se transformou em dor de cabeça ao Executivo por sua capacidade de mobilização, deixou claro que a bancada que lidera no Legislativo jamais dificultou o relacionamento com a administração do Professor Zezão. “Todos os projetos apresentados pelo prefeito beneficiando nossa população, foram aprovados”, observou.

No início de janeiro os vereadores se reúnem para escolher os membros das comissões temáticas, outra prova de fogo para Zezão. Em minoria no Legislativo, a previsão é de tempos ainda mais difíceis, numa administração frágil na área política e de comunicação. “É triste, não há diálogo com esta administração, salvo em alguns setores em que os titulares de algumas pastas e departamentos. De forma geral, trata-se de um governo fechado, incapaz de debater com a sociedade os projetos de interesse público. A consequência é este isolamento!”, assinala, por sua vez, Genivaldo Marques.

Para Rudinei Esteves, a continuar nessa linha, a situação da gestão do prefeito Zezão tende a piorar. “Não tem diálogo, não há respeito com a comunidade! Nesse ritmo, a administração do Zezão vai viver uma lenta agonia”, complementa.

Deixe um Comentário