Internacional Tecnologia

Windows com Kernel do Linux, como?

A Microsoft anunciou a segunda versão do Windows Subsystem for Linux (WSL), na Build 2019, prometendo desempenho, velocidade e o aumento da gama de aplicativos Linux a serem executados. (veja o vídeo do anúncio)

A Microsoft anunciou também um novo aplicativo de Terminal para Windows, com funções como “conversar” com as distros Linux instaladas via WSL, além do provável lançamento do reformulado Microsoft Edge, agora baseado no Chromium, para Linux. Sim, o Edge vai ter uma versão para Linux!

As mudanças vieram depois do feedback dado pelos usuários, assim melhorando a primeira versão, que foi lançada em 2016 e amplamente distribuída em 2018.
No seu Blog para Desenvolvedores, a Microsoft fez a seguinte ponderação sobre a nova versão do WSL:


O WSL 2 é uma nova versão da arquitetura que alimenta o Windows Subsystem for Linux para executar binários ELF64 Linux no Windows. Essa nova arquitetura altera a forma como esses binários do Linux interagem com o Windows e o hardware de seu computador, mas ainda fornece a mesma experiência do usuário que no WSL 1 (a versão atual, amplamente disponível).


As distribuições individuais do Linux podem ser executadas como uma distro do WSL 1 ou como uma distro do WSL 2, podendo receber upgrade e downgrades a qualquer momento, você pode executar distros do WSL 1 e do WSL 2 lado a lado. O WSL 2 utiliza uma arquitetura inteiramente nova e usa um kernel Linux real.


Craig Loewen, Program Manager, Windows Developer Platform.

O WSL 2 contará com um Kernel Linux integrado e customizado pela Microsoft para ter a compatibilidade total com as chamadas de sistema (sendo adaptado ao funcionamento do Windows), atualizações via Windows Update, utilizando a versão 4.19 do Linux. Ele ficará disponível para testes até o final de Junho para os usuários inscritos no programa Windows Insider.

Então agora o Windows roda Linux?
Oficialmente o Windows passa a trazer dois Kernels para o sistema, sendo o Kernel NT tradicional ainda o principal, fazendo toda essa comunicação do Windows com o hardware do computador para a maioria das tarefas, a pergunta inevitável é: Até quando? Será que em algum momento o Kernel Linux será a base única do sistema da Microsoft?

Adivinhar o futuro é difícil, mas dada a junção entre as duas plataformas, não é tão complicado de imaginar algo assim acontecendo num futuro, certamente a Microsoft economizaria alguns milhões de dólares em desenvolvimento em seu próprio Kernel, isto é, se a mudança for tecnicamente possível.

Vemos também a Microsoft ajudando, ainda que não muito, o projeto Wine através de Drivers do Windows e relacionados, tudo isso pode acabar gerando uma plataforma híbrida bem interessante, muito mais open source do que em qualquer momento no passado, mas ainda Windows.

Deixe um Comentário