Jundiaí do Sul

Violência contra mulher revolta Jundiaí do Sul

Vítima foi brutalmente espancada no último domingo e permanece internada na UTI em Londrina

Luiz Guilherme Bannwart


Margarida Alves permanece na UTI à espera de cirurgias
CRÉDITO: Arquivo da família

Moradores de Jundiaí do Sul estão revoltados com um crime contra mulher ocorrido no município no último domingo (1º), que teve como vítima Margarida Maria Santíssima Alves, 41 anos. Segundo o boletim de ocorrência registrado pela Polícia Militar, Margarida foi brutalmente espancada por um homem identificado por testemunhas como Ayrton Medeiros e encontra-se internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Universitário (HU) de Londrina. 

Mesmo bastante machucada, a vítima contou aos policiais militares que o agressor a perseguia há algum tempo e lhe fazia ameaças. No último domingo ela retornava para sua casa a pé, quando foi surpreendida por Ayton com socos e chutes na cabeça. 

Margarida ficou com o rosto desfigurado. Ela foi socorrida por vizinhos e levada ao Pronto Socorro, sendo transferida para a UTI em Londrina. Segundo parentes, a vítima perdeu quase todos os dentes e exames revelaram traumatismo craniano e fraturas na face da paciente, que permanece internada no Hospital Universitário à espera de cirurgias.

Segundo os moradores da cidade, o homem apontado como autor das agressões contra Margarida é bastante violento e conhecido no meio policial. Eles cobraram a prisão de Ayrton Medeiros à Justiça e que ele seja indiciado por tentativa de feminicídio. 

Ainda de acordo com parentes de Margarita, o agressor não possui nenhuma relação afetiva com a vítima, sequer amizade, e que o motivo para tanto ódio e violência é desconhecido. 

O caso está sendo conduzido pela Delegacia de Polícia Civil de Ribeirão do Pinhal. De acordo com o delegado Tristão Antônio Borborema de Carvalho, foi instaurado procedimento pelo crime de lesão corporal grave e os envolvidos devem ser ouvidos durante as investigações. O delegado esclarece, ainda, que o acusado não foi preso em flagrante pela PM, decisão que competirá à Justiça, após conclusão do inquérito policial. 

A reportagem não localizou Ayrton Medeiros para comentar as acusações.

Deixe um Comentário