Jacarezinho

Vereadores justificam rejeição a projeto

Projeto crédito de R$ 3,6 milhões para investir em infraestrutura do Distrito Industrial lll foi reprovado pela Câmara

Da Redação 


Endividamento, inviabilidade da área e incompatibilidade com o empresariado local. Estes foram alguns dos argumentos apresentados pelos vereadores que votaram contra o projeto de autoria da prefeitura de Jacarezinho que previa ao município um financiamento de R$ 3,6 milhões para promover obras de infraestrutura no Distrito Industrial lll, às margens da BR-153. 

O projeto, que foi votado – e rejeitado – na sessão da última segunda-feira (25), permitia ao município fazer um financiamento junto à Agência de Fomento do Paraná, para realizar obras de drenagem, redes de água, esgotamento sanitário e energia elétrica, bem como pavimentação e iluminação pública. A área, com 113 mil metros quadrados, está localizada no trevo de acesso à Avenida Brasil, saída para Santo Antônio da Platina. 

Quatro dos sete vereadores que participaram da sessão, porém, alegaram uma série de motivos contrários a aprovação e votaram contra a abertura do crédito. Sidnei Francisquinho, o Chiquinho Mecânico (PHS), André de Sousa Melo, o Pastor André (DEM), e José Izaías Gomes, o Zola (PT), divulgaram um vídeo onde apresentam os argumentos que justificam o voto desfavorável ao projeto. Além dos três, o vereador Luiz Carlos do Nascimento (PDT) também votou contrário à iniciativa da prefeitura, ms não participou do vídeo. 

No vídeo em questão os vereadores apontam diversas questões que embasaram seus votos, entre eles o endividamento do município, que já teria outros financiamentos, a falta de certidão negativa, que poderia impedir o recebimento dos recursos, a inviabilidade do parque industrial e a incompatibilidade com a realidade econômica dos empresários locais, que teriam que comprar as áreas. Os vereadores ainda rechaçaram a informação de que já existem empresas acertadas para se instalar na área e afirmam que não existe qualquer documento de intenção de empresários para o ingresso no Parque Industrial III e a consequente geração de empregos. 

Outro apontamento é com relação a empresa Marvi, de Ourinhos (SP), que, segundo eles, tenta se instalar no município há cerca de 8 meses, mas que o município não oferece uma área compatível com as necessidades da empresa do ramo alimentício.

Deixe um Comentário