Jacarezinho Política

Vereadores de Jacarezinho gastam R$ 16 mil pra fazer curso em Minas

Chiquinho Mecânico, Pastor André e Nascimento viajaram a Belo Horizonte coincidindo com o jogo do Brasil e Argentina

Lucas Aleixo, especial para a Tribuna do Vale

Uma enorme polêmica se formou em Jacarezinho após três vereadores do município viajar a Belo Horizonte (MG) para participar de um curso, justamente na semana da partida entre Brasil e Argentina, válida pela semifinal da Copa América. Desde a noite de terça-feira (2), data do jogo, foram várias postagens em redes sociais com duras críticas aos envolvidos na viagem.

Os vereadores Sidnei Francisquinho, o Chiquinho Mecânico (PHS), André de Souza Melo, o Pastor André (DEM) e Luiz Carlos do Nascimento (PDT) foram à capital mineira para participar do curso “Apatia, abulia e acracia política visto pela população e a importância da contabilidade moderna no setor público”, ministrado pelo Instituto Rui Barbosa.

Embora o curso tenha sido agendado pelos vereadores há mais de duas semanas, portanto muito antes da partida entre Brasil e Argentina ser confirmada, já se sabia à época que as datas do curso coincidiriam com a data da primeira semifinal da competição – a segunda semifinal marcada para esta quarta-feira (3) em Porto Alegre (RS). Cada vereador utilizou cinco diárias, com data de saída sendo 02/07 e retorno previsto para 05/07.

Os questionamentos da população são em sua maioria pela real necessidade da participação dos vereadores nesse curso e pela coincidência de datas e em um município tão distante, já que o tema objeto de estudo não demonstra ao menos por si só maior relevância e não há registros recentes de outras viagens para Belo Horizonte no Portal da Transparência da câmara de vereadores.

Somando os valores das diárias, passagens e do próprio curso o total gasto pela câmara de vereadores com a viagem dos três parlamentares a Belo Horizonte é superior a R$ 16 mil.

SEM RESPOSTA

A reportagem da Tribuna do Vale tentou contato com os vereadores envolvidos na polêmica durante a tarde desta quarta-feira (3), porém até o fechamento desta edição não houve retorno das ligações nem respostas às mensagens enviadas via aplicativo de celular. A princípio os três seguem realizando o curso em Belo Horizonte.

PRESIDENTE LAMENTA

O presidente da Câmara de Vereadores de Jacarezinho, Fúlvio Boberg (MDB), lamenta a situação. “Não tenho como colocar chip nos vereadores para saber aonde eles vão. E eu sou presidente, mas não sou chefe, é diferente de um prefeito que pode exonerar um secretário.

O pedido para a participação no curso foi feito há mais de duas semanas, e eu não me atentei para jogo. Eu imagino que de fato eles estejam fazendo o curso e que vão trazer os comprovantes quando voltarem, agora, se houver alguma irregularidade, que seja apurada pelo Ministério Público”, pondera.

“Se a população não concorda com este tipo de atitude, então vote em outros candidatos nas próximas eleições. Eu evito pegar diárias para não gerar gastos e porque sei que devemos essa satisfação à população”, completa“Parlamento Jovem”.

Deixe um Comentário