Santo Antônio da Platina

Vereador Mineiro cobra agilidade na emissão de escrituras do Bela Manhã

Câmara aprovou, há dois meses, a concessão gratuita de escrituras de casinhas de conjunto, mas até agora nada foi feito

Da Assessoria


O vereador José Jaime Mineiro (DEM), esteve na redação da Tribuna do Vale, na manhã desta terça-feira (01/10), quando protestou pela morosidade da prefeitura em resolver o problema de 41 famílias de moradores do Conjunto Habitacional Bela Manhã, que aguardam há dois meses pela concessão das escrituras de posse definitiva dos imóveis.

No dia 1º de julho deste ano a Câmara de Vereadores aprovou por unanimidade a concessão dos títulos de posse das moradias, mas desde então a administração municipal não providenciou os documentos. Segundo Mineiro, isso já poderia ter sido resolvido há muito tempo se a prefeitura tivesse encaminhado os documentos corretos, o que aconteceu depois de muita pressão.

Mineiro disse que esteve na comunidade e consultou alguns líderes que manifestaram estranheza e revolta pela demora em resolver o problema. Ele estranha essa morosidade porque antes da aprovação o Executivo acusava o Legislativo supostamente por travar a tramitação da matéria, quando na verdade o problema se devia a falta de documentos. “Quando a prefeitura regularizou, votamos imediatamente o projeto. Agora que está tudo certo, a administração não conclui o processo. Será que estão esperando a eleição para distribuir a escrituras para as famílias?”, questiona.  

Um dos líderes da comunidade, Osmar Moreira da Silva, disse ontem que procurou recentemente o chefe de gabinete da prefeitura, Benedito Vieira de Miranda Neto, mais conhecido por Ditinho da Renovação, a quem relatou o clima de insatisfação dos moradores. Este garantiu que procuraria o departamento responsável que obter informações.

Outro lado

O secretário de Assistência Social, Cristiano Benedito Lauro, questionado pela reportagem, informou no final da tarde desta terça-feira, que já foram enviados ao cartório os documentos de 25 moradias, de um total de 41 casas.  Segundo ele, a situação dos demais não estão no mesmo estágio por falta de documentos e, algumas, sequer atenderam ao chamamento da administração e estão sendo visitados pela Assistência Social.

O vereador Mineiro rebate essas informações assinalando que a secretaria começou a agora pela pressão das lideranças comunitárias, inconformadas com a demora pela legalização dos imóveis.

Deixe um Comentário