Esporte

Veja jogadores que defendem seus clubes do coração

Eles sempre sonharam em defender essas equipes quando crianças, mas não imaginaram que isso se tornaria realidade

Fonte: Betsul 


Sonhar em defender o seu time do coração é um sonho que atinge praticamente todas as crianças que são apaixonadas por futebol. No entanto, se virar jogador já é uma tarefa para poucos, conseguir que isso aconteça bem no clube que sempre apoiou é algo reservado a um seleto grupo de profissionais. Mesmo assim, isso não só acontece, como muitos dos que chegam lá mostram que a paixão ainda é a mesma e conseguem se firmar até alcançarem o status de ídolo. 

Atualmente, existem diversos exemplos de jogadores que são destaques em seus times do coração. Para relembrar e conhecer a história de alguns deles, confira a lista abaixo com cinco atletas que realizaram seus sonhos e que hoje são sucesso local e mundial. Confira!

Trent Alexander-Arnold

Aos seis anos de idade, Trent Alexander-Arnold foi às ruas de Liverpool para receber o seu time do coração, que acabará de realizar uma das viradas mais impressionantes da história do futebol na decisão da Liga dos Campeões da Europa, na mágica noite em Istambul, na Turquia. Comandados por Steven Gerrard, os Reds derrotaram o Milan nos pênaltis após perderem o primeiro tempo por 3 a 0.

Daquele dia em diante, Alexander-Arnold pegou uma “doença”, como ele mesmo define a sua obsessão em se transformar em jogador do seu clube do coração. O garoto que já fazia parte das categorias de base dos Reds desde 2004 começou a sua escalada rumo à realização do seu sonho. E conseguiu. 

Em 2016, finalmente ele se tornou realidade. Pela Copa da Liga Inglesa, diante do Tottenham, o lateral-direito, que já havia sido apontado por Gerrard como uma das grandes promessas das categorias de base do Liverpool, fez a sua estreia oficial com a camisa dos Reds.

De lá para cá, Alexander-Arnold foi se firmando cada vez mais e hoje é considerado por muitos como o melhor lateral-direito do mundo, tendo como sua principal característica a qualidade nos passes e cruzamentos, que o fazem ser o líder de assistências da Europa na atual temporada.

Marco Reus

Borussia Dortmund e Marco Reus foram feitos um para o outro. Filho de pai inglês e mãe russa, ele nasceu na cidade alemã e se tornou fanático pelos aurinegros. No entanto, foi no Post-SV Dortmund que o talentoso meia deu seus primeiros passos no futebol. No entanto, não durou muito para mudar para o seu time do coração.

Em 1996, aos sete anos de idade, começou a treinar nas categorias de base do Borussia Dortmund. No início de sua vida adulta, Reus teve problemas para ganhar corpo e por ser franzino não conseguiu ter espaço no clube.

Dez anos depois de começar a sua história no Dortmund, Reus trocou o Borussia pelo pequeno Rot-Weiss Ahlen. Primeiro, foi para o time B, disputar a 4ª divisão da Alemanha, mas pouco tempo depois ingressou o time principal. Mesmo jogando apenas a nível regional, chamou a atenção do Borussia Mönchengladbach, que acabará de subir à Bundesliga.

Em 2009, foi contratado e começou a se destacar na elite da Alemanha. Em 2011/12, foi fundamental na campanha que levou o Mönchengladbach ao 4º lugar da Bundesliga, classificando o time à Liga dos Campeões da Europa.

Na temporada 2012/13 retornou ao seu clube do coração (objetivo que tinha desde que deixou os aurinegros em 2007). Ao lado de Götze, Lewandowski, Hummels, Gundogan e um dos melhores elencos da história do Borussia, levou o Dortmund à final da Champions, quando sofreu a dura derrota para o Bayern de Munique no final da partida.

Carlos Tévez

Você trocaria um dos maiores salários do mundo para voltar a ser feliz? Pois foi exatamente isso que fez Carlos Tévez há alguns anos. Mas esse é só um dos capítulos finais de uma linda história entre o atacante e o Boca Juniors. Nascido em Fuerte Apache, uma favela de Buenos Aires, o argentino sempre sonhou em sair de lá para vestir a camisa do seu time do coração.

No entanto, sua carreira começou nas categorias de base do All Boys, onde ficou por sete anos. Achando que não teria espaço para crescer, Carlitos teve a grande oportunidade de sua vida ao ser convidado pelo Boca Juniors para terminar a sua formação em La Bombonera. Aceitou na hora e começou a construir a sua grande história no time que torce.

Com 14 anos, já chamou a atenção pelo faro de gol. Com 15, já tinha anotado quase 50 gols pelo Boca e foi convocado para a Seleção Argentina sub-15. Aos 16, já treinava entre os profissionais, e um ano depois fez oficialmente a sua estreia pelos Xeneizes.

Quando Riquelme deixou o clube em 2002, Tévez decidiu assumir o posto de ídolo do Boca Juniors e teve muito êxito. Afinal, o atacante destruiu na Libertadores de 2003 e se mostrou para o mundo. Depois de passagens vitoriosas por Corinthians, Manchester United, Manchester City e Juventus, o jogador voltou à Buenos Aires para, já consagrado, defender novamente o seu time do coração.

Foram dois anos (2015 e 2016) até que o Shanghai Shenhua oferece uma proposta irrecusável e Tévez foi à China ganhar um dos maiores salários do planeta. No entanto, lá não encontrou felicidade e em 2018 decretou o seu retorno ao Boca Juniors, para jogar pelo time que torce e ficar perto dos amigos de infância de Fuerte Apache.

Deixe um Comentário