Santo Antônio da Platina

Uso indevido de faixa exclusiva para transporte escolar gera transtornos

Estacionamento que deveria ser privativo para vans e microônibus tem sido utilizado de forma indevida

Dayse Miranda, especial para Tribuna do Vale


Irresponsabilidade no trânsito causa transtornos nas entradas e saídas de escolas
FOTO: Divulgação

Transitar pelo centro de Santo Antônio da Platina está ficando a cada dia mais difícil. A frota do município já chega a 38 mil veículos (automóveis e motocicletas), e conseguir uma vaga para estacionar na região central da cidade é uma missão quase que impossível, principalmente nos horários de pico. O ano letivo nas escolas mal começou e já são visíveis os transtornos na hora do embarque e desembarque dos alunos – um verdadeiro vale-tudo. São veículos estacionados nas vagas prioritárias para o transporte escolar, em faixas de pedestres, no portão de garagens, em vaga de idoso, de farmácia e até mesmo no meio da rua – trancando o fluxo dos veículos. Há também aquelas saidinhas rápidas, para sacar um dinheiro no banco ou para resolver algo simples, mas que pode prejudicar quem realmente necessita do estacionamento.

Diante desta ‘salada mista’, a Polícia Militar não está poupando quem estaciona de forma irregular e vem autuando inclusive os motoristas de transporte escolar que, sem vaga no estacionamento que deveria ser privativo a eles, se obrigam a parar no meio da rua para o desembarque de crianças. Um grupo de motoristas de Vans procurou a equipe de reportagem da Tribuna do Vale pedindo a colaboração da comunidade, dos pais e responsáveis pelo embarque e desembarque de crianças, para que não utilizem o estacionamento exclusivo a eles. Há placas de sinalização indicando os horários que podem ser utilizados o estacionamento e a faixa é amarela, portanto, o bom senso pode melhorar a qualidade do trânsito.

Irresponsabilidade no trânsito causa transtornos nas entradas e saídas de escolas
FOTO: Divulgação

O motorista Marciano Martins Esteves explica que as vans não têm condições de parar a 100 ou 200 metros de uma escola, porque contam com apenas um monitor por condução, ou seja, é inviável e arriscado parar longe do portão do estabelecimento de ensino para desembarcar oito ou dez crianças somente com um monitor. “Parar longe do portão não é seguro para as crianças que usam o transporte escolar. Pedimos mais conscientização à população no horário de entrada e saída das escolas. Infelizmente nos vemos obrigados a parar no meio da rua, porque os pais de alunos usam as vagas que seriam prioritárias ao transporte escolar. Com isso, todos nós estamos sendo multados pela Polícia Militar”, adverte.

Esteves pede ao Departamento de Trânsito que amplie a faixa de estacionamento para pais e vans na região central das escolas: Santa Terezinha / Sagrada Família, Ubaldino do Amaral e o Cmei Maçonaria. Para que desta forma ninguém seja prejudicado. “Uma professora da região central nos relatou que uma mulher parou na vaga do transporte escolar e ela foi adverti-la que ali era um estacionamento prioritário para transporte escolar e que, inclusive, ela estaria sujeita a multa. A mulher ironizou e respondeu que se ela tinha condições de ter um carro daquele valor, teria condições de pagar uma multa, ignorando a professora”.

Irresponsabilidade no trânsito causa transtornos nas entradas e saídas de escolas
FOTO: Divulgação

O diretor de Trânsito, Bruno Chagas, achou as observações válidas e se comprometeu em fazer algumas alterações nas vias públicas. Porém, ele orienta aos motoristas a formarem uma comissão para discutir a pauta antes de promover as mudanças no trânsito. “Estou à disposição dos motoristas. Só me procurarem para agendarmos uma reunião, que chegaremos a um consenso para melhorar a situação das entradas e saídas das escolas. Esse é um problema nacional, que já foi inclusive exposto no Fantástico (programa da Rede Globo). Vamos nos reunir e tentar fazer alguma mudança para melhorar este cenário”, sugeriu.

Deixe um Comentário

%d blogueiros gostam disto: