Cultura

Trupe do Nariz Vermelho contagia público com muita alegria e conscientização

Dayse Miranda, especial para Tribuna do Vale


Trupe do Nariz Vermelho tem como missão o riso frouxo da plateia
Foto:
DivulgaçãoTrupe do Nariz Vermelho tem como missão o riso frouxo da plateia
Foto: Divulgação

O Grupo de Teatro Municipal Meninos do Bairro vem desenvolvendo um trabalho social no município de Carlópolis, com resultados surpreendentes. O pequeno grupo, composto em sua maioria por crianças dos bairros da cidade, começou a se apresentar em 2003, com artes dramáticas e ações lúdicas para orientar sobre prevenções de doenças. Agora segue num cenário inovador e interativo, com a peça “A Trupe do Nariz Vermelho”, que traz dinâmicas e brincadeiras com a plateia, buscando proporcionar o bem estar do público. Com um elenco de 29 integrantes, o grupo tem uma trajetória difícil, mas que aos poucos vai superado e quebrado barreiras

Trupe do Nariz Vermelho tem como missão o riso frouxo da plateia
Foto: Divulgação

Sob direção de Maycon Prado da Silva, o grupo já realizou performances em Carlópolis, Quatiguá, Fartura e receberam convite para se apresentar em Joaquim Távora. O espetáculo mostra a importância do riso frouxo e trazer em tempos difíceis, momentos de paz e alegria – que contagia pessoas de todas as idades.

Para Silva, a arte teve grande importância para seu crescimento profissional e como ser humano e reconhece que o teatro mudou sua vida. “Estar em contato com a arte, me ajudou a mudar meu estilo de vida, a me moldar como ser humano e a ver o mundo com outros olhos. É muito gratificante ensinar a arte do teatro para crianças e adolescentes”, assinala, lembrando que a primeira peça foi um “desastre e um sucesso”, diz divertido.  “Faltou luz, o som não funcionava, figurinos se desmanchavam minutos antes da apresentação. Eu e alguns pais levamos os acessórios da apresentação em carriolas de mão, mas foi gratificante ver as crianças se apresentando. A peça se chamava “Ana da Latinha” – uma espécie de “Maria do Bairro”, de Carlópolis.  Fez tanto sucesso que foi apresentada nove vezes”, recorda.

Com o apoio da comunidade e pais de alunos, lançaram a peça “O Fim da Picada” que abordou o tema de prevenção contra a dengue, chikungunya e zica vírus. Sempre com uma pitada de humor, Silva detalha que foi a partir daí que receberam o primeiro convite para se apresentar em outra cidade.

Há quatro anos Silva foi contratado para ministrar artes dramáticas para as crianças do Projeto Social Clube Irmão Caçula, onde atuou até o inicio de 2017. Juntamente com as crianças do projeto conquistaram o título de “Orgulho de Carlópolis”. “Foi a grande escola para mim com total apoio da diretora da época Helena Batista realizamos mais de trinta peças nos mais variados temas. Eu só tenho a agradecer as crianças por toda dedicação, talento e esforço. Não é fácil subir em um palco e fazer comédia, e eles fazem tudo isto com alegria nos olhos. Agradeço aos pais pela confiança no meu trabalho e em minha pessoa afinal são 29 crianças fixas no grupo e sempre abrindo novas vagas conforme a necessidade. Obrigado à equipe da Secretaria de Educação e Cultura pelo espaço e por acreditarem no meu trabalho é uma experiência inesquecível”, reconhece emocionado.

Deixe um Comentário