Ibaiti Tomazina

TCE-PR monitora se houve melhorias na gestão da receita pública de 8 municípios

Autor: Diretoria de Comunicação Social
Fonte: TCE/PR


O Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) está realizando o monitoramento das recomendações que fez a oito municípios para melhorar o gerenciamento sobre sua receita pública. As medidas foram indicadas como resultado de auditorias do Plano Anual de Fiscalização (PAF) de 2017.

Desde o dia 4 de setembro, oito prefeituras [veja lista abaixo] estão recebendo Apontamentos Preliminares de Acompanhamento (APAs), por meio dos quais o TCE-PR solicita informações sobre as providências indicadas no respectivo Relatório de Auditoria do PAF 2017. O prazo para a resposta, por meio do Sistema Gerenciador de Acompanhamento (SGA) do Tribunal, é de dez dias, prorrogáveis por mais cinco. Nesse período, os gestores responsáveis deverão encaminhar informações e documentos que comprovem o atendimento das recomendações, relacionadas em planilha anexa ao APA.

O trabalho é executado pela Coordenadoria de Monitoramento e Execuções (CMEX) do Tribunal. Segundo o coordenador da unidade, Wilmar da Costa Martins Júnior, neste ano também serão realizados monitoramentos do PAF 2017 relacionados aos regimes próprios de previdência social (RPPS) de outros municípios paranaenses. O acompanhamento das melhorias implementadas em relação às folhas de pagamento, à educação infantil, à atenção básica à saúde e à gestão de resíduos sólidos já vem sendo realizado desde o início de abril.

Efetividade da fiscalização

Recomendações são orientações dadas pelo Tribunal de Contas aos órgãos fiscalizados sobre as providências que devem ser adotadas pelos gestores para corrigir irregularidades e impropriedades ou adotar melhorias administrativas. “Neste sentido, o principal objetivo do monitoramento é aumentar a efetividade das fiscalizações realizadas pelo Tribunal, por meio da verificação da implementação das orientações feitas, bem como aferir os resultados gerados por tais ações”, explica o coordenador-geral de Fiscalização do TCE-PR, Rafael Ayres.

A ausência de resposta ou a falta de comprovação de que as recomendações estão sendo efetivamente implementadas poderão levar à instauração de Tomadas de Contas e, consequentemente, à aplicação de multa, ao impedimento de obtenção da Certidão Liberatória e a outras sanções previstas na Lei Orgânica do TCE-PR (Lei Complementar Estadual nº 113/2005).

Mapa interativo

Todos os achados e as recomendações feitas pelo Tribunal a partir das auditorias presenciais realizadas nas edições de 2016 a 2018 do PAF estão disponíveis para consulta em um mapa interativo, publicado no portal do Tribunal na internet. O objetivo do material é facilitar a consulta e a compreensão de informações técnicas e estimular o cidadão a exercer o controle social do gasto e das políticas públicas executadas no seu município.

MONITORAMENTO DE RECOMENDAÇÕES DO PAF 2017

Gestão da receita pública nos municípios

AstorgaPrudentópolis
CastroSanta Helena
Dois VizinhosSanta Terezinha de Itaipu
IbaitiTomazina

Deixe um Comentário