Carlópolis

Servidor público denuncia prefeito por desvio de função

Emílio Domingues Filho protocolou no Gepatria que Hiroshi Kubo não cumpre o TAC que assinou com o Ministério Público

Emílio Domingues Filho protocolou a denúncia no Gepatria na terça-feira (12)
Foto: Antônio de Picolli

Da Redação


O fiscal de tributos da prefeitura de Carlópolis, Emílio Domingues Filho, protocolou na tarde da última terça-feira (12), no Gepatria – Grupo Especializado na Proteção do Patrimônio Público e no Combate à Improbidade Administrativa, órgão do Ministério Público Estadual (MPE), com sede em Santo Antônio da Platina, denúncia contra o prefeito do município, Hiroshi Kubo (PSDB), acusando-o de descumprimento de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado na gestão do ex-prefeito Marcos Antônio David, o popular Pezão, (gestão 2013-2016), com a promessa de pôr fim ao desvio de função da administração pública.

Segundo Domingues, a prática de desvio de função continua frequente na atual gestão e que o compromisso assumido com o MPE não está sendo cumprido. Ele conta que foi alvo de desvio funcional em junho do ano passado, quando o prefeito o transferiu de sua função de origem, fiscal de tributos, para o setor de vigilância sanitária. Curioso que o prefeito Hiroshi Kubo voltou atrás e reverteu a transferência, recolocando-o no cargo de origem.

Em entrevista à Tribuna do Vale, Emílio Domingues assinalou que o prefeito voltou atrás temeroso de que o caso viesse a público na ocasião, já que ele havia ameaçado procurar o jornal para denunciar a irregularidade.

Desvio de confiança

O caso de Domingues não é isolado. Até mesmo entre os cargos comissionados a prática de desvio de função ocorre desde o início da atual gestão. Este é o caso da secretária particular do prefeito, Sandra Santos Pascon, que trabalhava em sua incorporadora imobiliária até o fim de 2016, quando deixou a empresa e passou a ocupar o cargo na prefeitura com a posse de Hiroshi Kubo em janeiro de 2017. Interessante que ela foi nomeada como diretora do Departamento de Recursos Humanos, cargo em que ficou por um ano.

No início de 2018, ela foi exonerada e nomeada como diretora do Departamento de Tributação, onde permanece até hoje. A diferença que é que ela recebe salário de segundo escalão da administração, ocupando cargo de secretária do prefeito.

A Tribuna do Vale já denunciou este fato no final do ano passado. O prefeito, na ocasião, prometeu encaminhar uma nota oficial explicando a situação, mas até hoje não se prontificou a esclarecer como matem uma secretária nomeada no cargo de diretora de Tributação, setor que ela nunca frequentou e nem tem conhecimento técnico da área.

Bomba vai explodir

A Câmara de Vereadores retoma os trabalhos legislativos na terça-feira (19). Uma fonte antecipou à reportagem que a primeira sessão será marcada por um festival de denúncias que pode redundar na cassação do prefeito Hiroshi Kubo, mas preferiu não antecipar o conteúdo dos documentos que serão apresentados como prova de várias e graves irregularidades.

Deixe um Comentário