Jacarezinho

Sem novos professores, IFPR pode reduzir abertura de turmas

Cursos de Engenharia de Controle e Automação e Tecnólogo em Sistemas para Internet podem não formar novas turmas por falta de estrutura

Campus de Jacarezinho do Instituto Federal do Paraná (IFPR) tem ameaçada a abertura de novas turmas
CRÉDITO: ARQUIVO

Da Redação


O campus de Jacarezinho do Instituto Federal do Paraná (IFPR) tem ameaçada a abertura de novas turmas para os cursos de Engenharia de Controle e Automação e Tecnólogo em Sistemas Para Internet por falta de recursos para a contratação de professores. 

Segundo o diretor do campus, Rodolfo Fiorucci, o impedimento pelo governo federal de contratação de novos professores inviabiliza a abertura de novas turmas, além das já formadas. “Os cursos foram criados com planejamento de novos professores. Não tem como tocar os cursos sem eles. Devido à proibição de contratação de novos professores que o governo já havia imposto e que agora entra no projeto de lei que voltará para o Senado, o Instituto Federal provavelmente não abrirá turmas para esses cursos, e também algum outro curso técnico”, lamenta. 

A não abertura das turmas desses cursos representaria o não ingresso de pelo menos 100 alunos na instituição. Segundo Rodolfo, a situação traria, além de prejuízos educacionais graves, impactos negativos para a economia do município. “Além do impacto educacional, científico e tecnológico disso, do retrocesso quanto ao acesso de estudantes da região a estes cursos, temos os impactos econômicos gerados. Sem turmas abertas mais de 100 alunos deixam de gastar na cidade. Diminui demanda de aluguéis, consumo nos comércios locais, arrecadação de impostos”. 

O diretor do campus ainda mostra temor com a futuro do IFPR neste cenário. “Peço a ajuda de vocês para pressionar nossos senadores a tirar esse impeditivo de novas contratações, pelo menos as que já estavam planejadas, na área da educação. Sabemos que quando se abre a porteira passa a boiada. Começar a não abrir turmas pode ser uma sentença de morte para o Instituto Federal e para o desenvolvimento regional”, conclui. 

CORTES

A redução do orçamento do IFPR e os problemas acarretados pela medida ao campus de Jacarezinho foi noticiado com grande repercussão pela Tribuna do Vale em maio do ano passado. À época a instituição vivia a iminência de demitir terceirizados pelos seguidos cortes de verbas, que vinham desde 2015. 

No decorrer do ano as demissões se concretizaram e o IFPR se viu obrigado a reduzir gastos com material de expediente também, afetando os serviços de laboratórios e outras atividades fora de salas de aula. 

Deixe um Comentário