Jacarezinho

Sem médico, Hemocentro coleta sangue só em meio expediente

População pede unidade volante para atender doadores nas próprias cidades da 19ª Regional de Saúde  

Da Redação com Dayse Miranda


Num momento em que a Unidade de Coleta e Transfusão de Sangue (Hemocentro) de Jacarezinho pede, com urgência, doadores de sangue “Tipo O” para normalizar os estoques que estão em baixa devido ao feriado prolongado de Carnaval, a reportagem da Tribuna do Vale obtém a informação de que a unidade está realizando coleta em meio expediente, das 8h às 11h30, porque não tem médico dar suporte à equipe do órgão. Pior: o profissional que atende neste horário É “emprestado” pelo Cisnorpi – Consórcio Intermunicipal de Saúde do Norte Pioneiro.

Uma fonte do Hemocentro informa que a demanda regional de sangue nos 22 municípios da 19ª Regional de Saúde é de 300 a 400 bolsas por mês, mas ressalta que a unidade está conseguinte atender as necessidades da região. Porem, isso só ocorre pelas campanhas que vem sendo realizadas.

Com a posse na nova chefia da 19ª Regional de Saúde, espera-se que o problema da falta de médico para a realização de coleta seja resolvido. “É uma situação complicada. Dependemos de um profissional cedido pelo Cisnorpi. Não fosse isso, simplesmente nossa regional de coleta nem faria razão de existir, porque não adianta termos duas equipes altamente qualificadas para realizar o trabalho sem a presença do profissional médico”, assinalou a mesma fonte.

Unidade móvel

Muita gente poderia estar doando sangue se a Secretaria de Estado da Saúde (SESA) retomasse um sistema que operava há alguns anos. As cidades recebiam unidades móveis de coleta de sangue que, mediante um cronograma previamente estabelecido, faziam, na própria localidade, a coleta de doadores voluntários. Isso facilitava a vida de quem sempre doou ou desejava participar, mas que tinham essa facilidade.

Adriana Sabião, funcionária da loja do Molini’s Supermercados no centro de Santo Antônio da Platina chamou atenção para esse detalhe no final da tarde de ontem. Ela e o marido se mostram interessados em doar sangue, mas apostam a necessidade de deslocamento até Jacarezinho como fator limitante para realizar este gesto de solidariedade. “Conheço muita gente que gostaria de doar sangue, mas não temos condições de deslocamento até Jacarezinho. Se fosse aqui, na nossa cidade, ficaria muito mais fácil”, opina.

A reportagem apurou que a unidade móvel apontada por Adriana Sabião, na verdade, pertencia a um banco de sangue particular e que tal serviço nunca foi prestado pelo Hemocentro. Porém, o próprio órgão reconhece que a adoção deste serviço móvel poderia ampliar em 100 por cento o volume de coleta.  

Hemocentro faz campanha

O Hemocentro, regional de Jacarezinho, pede a colaboração da comunidade para garantir que não falte sangue em casos de demanda. Por esta razão, o órgão solicita que a região se organize para fazer as doações, lembrando que a unidade estará fazendo coleta de segunda à sexta-feira das 8h às 11h30. O órgão já vinha pedindo, em suas redes sociais, a colaboração da população, antes mesmo do feriado prolongado, e, agora, pede urgência para não zerar o estoque.

O “Tipo O” é o sangue mais utilizado no Brasil, portanto, o estoque do hemocentro deve operar com sua capacidade alta. Cada doador de sangue pode salvar a vida de até quatro pessoas. Porém, dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) menos de 2% da população brasileira fazem doações anualmente. E para aumentar esse índice, o Ministério da Saúde reduziu a idade mínima de 18 para 16 anos (com autorização do responsável) e aumentou de 67 para 69 anos a idade máxima para doação de sangue no Brasil.

O chefe da Unidade de Coleta, Kaio Coimbra, ressalta que o Hemocentro de Jacarezinho atende os 22 municípios de abrangência da 19ª Regional de Saúde e por isso a importância de manter o estoque operando em alta.

Para fazer a doação, é necessário alguns requisitos: documento com foto (RG, Carteira de Trabalho); estar em boas condições de saúde; ter entre 16 (com autorização do responsável) e 69 anos; pesar mais de 50 quilos; não estar em jejum (evitar alimentos gordurosos nas três horas que antecedem a doação).

Deixe um Comentário