Santo Antônio da Platina

SEM ESTRADA: Crianças voltam para casa a cavalo e se arriscam em carroceria

Dayse Miranda, especial para Tribuna do Vale


Moradores alegam que estradas estão inacessíveis e que problema virou rotina
FOTOS/VÍDEO: Dayse Miranda

A estrada de acesso ao Bairro dos Glórias, em Santo Antônio da Platina, mais uma vez está em condições inacessíveis depois das pancadas de chuva que atingiram o município na manhã de quinta-feira, 27. Por volta das 12 horas, uma Van que faz o transporte escolar de alunos do ensino público se envolveu em um acidente e ficou encalhada por cerca de uma hora na estrada.

O automóvel fazia o transporte de 15 crianças que retornavam da escola para suas casas. Pais e parentes dos alunos precisaram buscá-los a cavalo ou a pé por falta de condição de transitar no trecho.

Uma camionete traçada que passava pelo local ofereceu ajuda para levar os estudantes embora, que se arriscaram subindo na carroceria do veículo, sem qualquer equipamento de segurança. Um caminhão que trafegava pela rodovia parou prestar ajuda à comunidade e se prontificou em rebocar o transporte escolar que estava encalhado.

Motociclistas e outros veículos também tiveram dificuldade de passar pelo trecho em direção à rodovia. Transitar sentido aos bairros rurais no período da manhã era praticamente impossível, somente com veículos traçados.

Moradores alegam que estradas estão inacessíveis e que problema virou rotina
FOTOS/VÍDEO: Dayse Miranda

Há pouco mais de um mês, a Tribuna do Vale mostrou outro trecho da mesma estrada em condições intransitáveis, onde até cavalos tinham dificuldade para locomover.

A prefeitura de Santo Antônio da Platina está trabalhando na ampliação das estradas rurais. Justamente neste trecho, de aproximadamente um quilômetro, a estrada estava totalmente empedrada. Segundo os moradores, não havia necessidade de o maquinário retirar o que já estava pronto. Cerca de 200 famílias moram na localidade e dependem do trecho para escoamento de suas produções diariamente.  

Uma das moradoras do bairro comentou que esse tipo de problema já virou rotina no local. “Toda vez que a prefeitura vem fazer alguma obra aqui, as equipes demoram para fazer o empedramento. Ficamos a mercê das condições climáticas. Qualquer chuva já é motivo de desespero para nós. Merecemos mais consideração por parte da administração pública”, desabafou Maria Lúcia dos Santos.

A reportagem procurou o secretário Municipal de Obras, Everton José Panegada, para falar sobre o assunto, mas ele não atendeu nem retornou as ligações.

Deixe um Comentário