Educação Saúde

Saúde Nota 10 vai levar saúde para dentro da escola e diminuir evasão

Da Assessoria Cida

A regionalização da saúde proposta pela governadora Cida Borghetti vai além dos programas Corujão e Carretas da Saúde. Nesta segunda-feira, a candidata à reeleição (coligação PP-PSDB-PTB-PROS-PMB-PMN-DEM) detalhou o Saúde Nota 10, projeto que vai aproximar duas áreas prioritárias: saúde e educação. 

“Nosso plano de governo traz propostas interligadas para promover bem estar da população e o desenvolvimento do Estado”, explicou. 

O Saúde Nota 10 levará médicos periodicamente aos colégios públicos para atendimento dos alunos, professores e demais profissionais da educação. 

“Equipes farão o monitoramento da saúde das crianças e dos os adolescentes, além de incentivar atividades físicas, diagnósticos de visão e audição, vacinação, orientação sobre alimentação adequada e, campanhas contra cigarro, drogas e alcoolismo”, detalhou.

O objetivo, segundo Cida, é ampliar o acesso à saúde pública, reduzir os índices de evasão escolar, melhorar a qualidade do ensino no Estado e dar mais condições de trabalho aos profissionais. 

No Paraná, os alunos passam cerca de 800 horas por ano dentro dos colégios e em média 7 anos da vida nas escolas, isso mostra que há espaço para incluir programas de atenção à saúde. 

COMBATE A EVASÃO – Segundo Cida, com as consultas médicas nas escolas será possível identificar problemas de visão, deficit de atenção e depressão, fatores que comprometem o aprendizado.

“Muitas vezes os alunos perdem o interesse no estudo por um problema de saúde que não é identificado. Tendo um médico dentro da escola reduziremos esse risco”, disse. 

De acordo com levantamento do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) cerca de 20% das crianças em idade escolar apresentam problemas de vista. A miopia é a campeã e já é considerada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) a epidemia do século e os casos de depressão infantil quase dobraram em 10 anos. “Precisamos frear estes índices”, disse a governadora. 

O programa também levará às escolas campanhas de vacinação e tratamentos específicos para a voz dos professores. “Estamos resgatando um projeto que deu certo no passado e que foi perdido com o tempo”, afirmou. “Vamos juntar os dois ambientes para oferecer ações completas”, completou.Área de anexos

Deixe um Comentário