Geral

Sanepar amplia plantio de cortina verde em estações de esgoto

Está aberto edital para plantio de 15 mil mudas de árvores em área que vai do Norte Pioneiro ao Vale do Ivaí
CRÉDITO: AEN

Da Agência Estadual


A Sanepar está ampliando a formação de cortinas verdes no entorno de estações de tratamento (ETE) e elevatórias (EEE) de esgoto em todo o Estado, com a abertura de licitação para plantio de mudas de árvores no Norte do Paraná.

O edital prevê o plantio de cerca de 15 mil árvores de 140 espécies nativas, numa área de 109 hectares, em 25 localidades, desde o Norte Pioneiro, na região de Santo Antônio da Platina, até o Vale do Ivaí, na região de Apucarana.

As árvores serão plantadas para a formação de cortinas verdes em 20 estações de tratamento e elevatórias de esgoto e em cinco áreas para a recuperação florestal. Os projetos preveem o plantio de espécies nativas da Floresta Estacional Semidecidual, que é a formação florestal característica das regiões Norte e Nordeste do Paraná. Mais informações sobre a licitação estão no site da Sanepar/fornecedores/licitações: obras e serviços de engenharia. As propostas devem ser enviadas até as 9 horas do dia 11 de janeiro.

Segundo a Gerência de Gestão Ambiental da Sanepar, a definição das espécies a serem plantadas foi feita com base em pesquisa de sua aptidão a cada local. O objetivo é favorecer o bioma da região no que se refere à vegetação e também à fauna que necessita da floresta para alimentação e abrigo para não ser extinta.

Nas outras regiões do Estado, há contratos vigentes até este ano, quando será totalizado o plantio de 49.632 mudas de árvores, numa área de 168.748 hectares, ao redor de 137 estações elevatórias e de tratamento de esgoto.

CORTINA VERDE – O projeto de cortina verde teve início na Sanepar em 2007, com plantios-piloto em algumas estações da Região Metropolitana de Curitiba.

Com espécies arbóreas e arbustivas adaptadas à região e ao solo local, plantadas em linhas paralelas, a cortina verde forma uma barreira de isolamento no entorno das ETEs. O principal benefício é a redução dos odores à população vizinha por meio da verticalização dos ventos.

A cortina verde atende à Resolução 16/14 da Secretaria Estadual de Meio Ambiente, sobre emissões atmosféricas.

Deixe um Comentário