COVID-19 Ribeirão do Pinhal

Ribeirão do Pinhal vai manter serviços não essenciais abertos

Prefeito justifica que atualmente os casos estão controlados, mas não descarta restrições caso aumente o número de positivos

Prefeito Wagner Martins decidiu manter o comércio aberto antes mesmo da decisão dos demais gestores. Foto: Antônio de Picolli

Dayse Miranda, especial para Tribuna do Vale

O prefeito de Ribeirão do Pinhal, Wagner Martins (PSD), após reunião com o Comitê Municipal de Combate ao Covid-19, anunciou que optou por manter abertos os serviços não essenciais (bares, restaurantes, academias, salões de beleza, barbearias, clubes, clínicas de estética, lanchonetes entre outros) de segunda a sexta-feira, das 10h às 16h.

Aos finais de semana, Martins definiu que restaurantes e lanchonetes poderão atender somente no sistema delivery. A cidade, apesar de fazer parte da Associação dos Municípios do Norte Pioneiro (Amunorpi), compõe a 18ª Regional de Saúde de Cornélio Procópio, junto com Abatiá e Andirá.

A decisão do prefeito e dos demais municípios que fazem parte da18ª Regional de Saúde, vai em desacordo com o decreto do governo 4.942/2020, imposto pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior, que detalha uma série de medidas restritivas em sete regionais do Estado. A principal mudança é a suspensão das atividades não essenciais por 14 dias, sendo prorrogável por mais 7 dias em sete Regionais. 

O prefeito justifica que já fechou o comércio da cidade anteriormente por 15 dias e avalia que a pandemia de coronavírus, no momento, está sob controle. “Tomamos essa decisão em parceria com o Departamento de Epidemiologia, temos 5 casos de Covid-19 ativos no momento e já descobrimos o foco da infecção. São casos de pessoas que trabalham fora da cidade, classificados como importados, mas que estão em monitoramento pela equipe responsável”, detalhou.

Ribeirão do Pinhal contabiliza no total 47 casos confirmados e cinco ativos (que oferecem risco de contágio). Desta forma, Martins alerta a população que não descarta medidas mais rigorosas em breve, caso volte a aumentar o número de casos positivos. “No momento não queremos penalizar os comerciantes com o fechamento porque eles estão colaborando no enfrentamento e estamos com fiscalização ostensiva para garantir que a cidade mantenha o controle”, pontuou.   

18ª REGIONAL – A Associação dos Municípios do Norte do Paraná (Amunop), promoveu durante a tarde desta quarta-feira, 01, uma reunião com prefeitos da 18ª Regional de Saúde, representantes do comércio de Cornélio Procópio, 18º Batalhão da Polícia Militar e Ministério Público para definir qual será a melhor estratégia de enfrentamento contra o Covid-19 com base no decreto do governo.

Estiveram na reunião o prefeito de Abatiá, Nelson Garcia Junior (PDT) e a prefeita de Andirá, Ione Elizabeth Alves Abib (PMDB). Os prefeitos da Amunop, juntamente com os três da Amunorpi decidiram aguardar uma resposta do governo estadual a um pedido do colegiado para que as cidades sob jurisdição da 18ª Regional de Saúde sejam liberadas de cumprir as recomendações do decreto assinado por Ratinho Junior.   

Deixe um Comentário