Paraná

Região volta a debater curso de Medicina

Reunião que acontece na tarde desta quinta-feira na UENP, em Jacarezinho, trata detalhes do projeto 

Da Redação


Lideranças de todo Norte Pioneiro se reúnem, às 14h00 desta quinta-feira (5), na sede da UENP – Universidade Estadual do Norte Pioneiro, em Jacarezinho, com representantes do governo do Estado, para debater o projeto de implantação do curso de Medicina na instituição, que inicialmente está projetado para o campus de Cornélio Procópio.

Embora sua criação, no final do governo passado, estabeleça como sede do curso a cidade de Cornélio Procópio, a expectativa das lideranças da Amunorpi (Associação dos Municípios do Norte Pioneiro) é de que o projeto amadureça entre as partes e que o Estado efetive os municípios de Jacarezinho e Santo Antônio da Platina como sede da Faculdade de Medicina. 

O assunto tem sido tema constante nas reuniões da associação e existe um enorme clamor para que a região possa sediar Medicina, o que traria profundos impactos econômicos e sociais para o Norte Pioneiro. 

Em entrevista recente à Tribuna do Vale, o presidente da Amunorpi e prefeito de Pinhalão, Sérgio Inácio Rodrigues (PDT), afirmou com todas as letras que hoje a preferência do governador Ratinho Júnior (PSD) é pela instalação do curso na microrregião do Norte Pioneiro. “O governador Ratinho Junior já mostrou que sua preferência é pelo Norte Pioneiro porque sabe de nossas carências e conhece a estrutura aqui existente”. 

Em julho deste ano uma comissão da região chegou a ser criada, entre lideranças próximas ao governador Ratinho Júnior, para tentar viabilizar, ou ao menos acentuar o processo de instalação de Medicina no Norte Pioneiro. 

Entre os prefeitos e demais lideranças da região o pedido também é praticamente unânime pela vindo do curso e isso tem sido um fator positivo a favor do Norte Pioneiro – além, claro, de questões geográficas, uma vez que por aqui não existem faculdades públicas ou privadas que ofereçam Medicina em um raio de centenas de quilômetros. Somadas, todas estas questões trazem otimismo com relação ao desfecho desta história. 

NOVELA

A discussão, porém, já é bem antiga. Em 2013, por exemplo, veículos de comunicação do Norte Pioneiro traziam este tema como manchetes em várias oportunidades, pelo clamor que houve na ocasião a favor da abertura do curso por aqui. 

Na época havia uma disputa entre Santo Antônio da Platina, Cornélio Procópio e Bandeirantes para quem poderia e teria plenas condições de receber a faculdade de Medicina. Após muita discussão e pouca solução, no fim do ano passado a então governadora Cida Borghetti surpreendeu ao anunciar que Medicina iria para Cornélio Procópio.

A desilusão da microrregião do Norte Pioneiro – e a alegria de Cornélio Procópio – contudo, duraram pouco tempo. Isso porque logo no início de seu mandato como governador, Ratinho Júnior já deixou claro que não tinha nenhuma intenção de levar adiante a instalação de Medicina em Cornélio Procópio. O governador ainda foi além e classificou a medida tomada pela antecessora como “politicagem”.

Com este cenário completo de indefinição, a região segue com a esperança de receber o curso de Medicina. E, se possível, em um prazo razoável.

Ontem o empresário Marcelo Palhares, uma das lideranças da região com grande prestígio junto ao governador Ratinho Junior, disse que pretende conduzir um grupo de lideres da região para sensibilizar o Governo a rever a intenção inicial, assinalando que o curso de Medicina, além de agregar avanços econômicos, do ponto de vista social é fundamental, pelas perspectivas de criar a independência do Norte Pioneiro na área de medicina especializada, retirando a imagem de região exportadora de doentes.  

Deixe um Comentário