Geral

Região tem mais de R$ 240 mil em auxílios emergenciais indevidos

São 355 pessoas cadastradas ou com dados usados indevidamente; fraudes só não foram registradas em três municípios da região

Lançamento do aplicativo CAIXA|Auxílio Emergencial

Da Redação

Levantamento do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) com a Controladoria Geral da União (CGU) identificou o pagamento indevido do auxílio emergencial do governo federal a 355 servidores de prefeituras dos municípios que compõe a Amunorpi (Associação dos Municípios do Norte Pioneiro). O valor dos pagamentos ilegais na região totaliza R$ 242.400.

A identificação dos pagamentos indevidos foi possível graças ao cruzamento de dados entre os órgãos, que na análise verificou que agentes públicos, de cargos temporários, comissionados ou efetivados, receberam o auxílio – que foi idealizado para beneficiar exclusivamente trabalhadores informais, microempreendedores individuais (MEIs), autônomos e desempregados, que cumpram requisitos determinados previamente.

Entre os municípios da Amunorpi, só não foi verificada a irregularidade em Pinhalão, Ribeirão Claro e Tomazina. Nos outros 22 houve pelo menos um tipo de servidor cadastrado e aprovado como beneficiário do programa federal.

O município onde foi registrado o maior número de servidores que receberam o auxílio emergencial foi Ibaiti, com 72 pessoas veiculadas ao poder público beneficiadas. Os valores pagos indevidamente no município chegam a quase R$ 50 mil.

Golpe

Logo após que os dados vieram a público e geraram grande repercussão, especialmente nos municípios pequenos onde a identificação dos supostos fraudadores é mais fácil, houve inúmeros relatos de pessoas que alegam estar entre os beneficiários sem ter feito a inscrição, vítimas, portanto, de golpes.

Segundos esses relatos, os dados pessoais de alguns dos servidores teriam sido usados indevidamente. Uma investigação federal deverá apurar mais detalhadamente quais as circunstâncias dos pagamentos ilegais.

De qualquer forma as prefeituras foram notificadas para buscar a devolução dos valores pagos indevidamente aos servidores.

Veja a quantidade de servidores e o valor pago indevidamente em cada município da região:

  MUNICÍPIO   SERVIDORES   VALOR DA FRAUDE
Abatiá 04 R$ 3.000
Andirá 51 R$ 34.800
Barra do Jacaré 07 R$ 4.800
Cambará 40 R$ 27.000
Carlópolis 05 R$ 3.600
Conselheiro Mairinck 02 R$ 1.200
Figueira 09 R$ 6.000
Guapirama 07 R$ 5.400
Ibaiti 72 R$ 49.800
Jaboti 14 R$ 9.000
Jacarezinho 01 R$ 600
Japira 08 R$ 5.400
Joaquim Távora 02 R$ 1.800
Jundiaí do Sul 09 R$ 6.000
Pinhalão 0 R$ 0
Quatiguá 05 R$ 4.200
Ribeirão Claro 0 R$ 0
Ribeirão do Pinhal 04 R$ 3.000
Salto do Itararé 04 R$ 2.400
Santana do Itararé 13 R$ 9.000
Santo Antônio da Platina 09 R$ 6.000
São José da Boa Vista 04 R$ 2.400
Siqueira Campos 35 R$ 24.000
Tomazina 0 R$ 0
Wenceslau Braz 50 R$ 33.000
  TOTAL   355   R$ 242.400

Deixe um Comentário