Santo Antônio da Platina

Reajuste salarial de professores se torna nova polêmica na administração

Assunto voltou à tona com aprovação de reajuste muito inferior ao pedido pela classe

Zezão garante que os recursos do Fundeb para 2020 já estão comprometidos
CRÉDITO: ANTÔNIO DE PICOLLI

Da Redação 


Troca de acusações em grupos de WhatsApp e o descontentamento geral dos professores da rede municipal de Santo Antônio da Platina com o reajuste salarial proposto e aprovado para a classe. Esses são os elementos que formam a nova polêmica envolvendo a prefeitura local e professores municipais. 

A troca de acusações foi entre o presidente da Associação Municipal dos Professores Platinenses, Fernando Nogueira dos Santos, e o prefeito do município, José da Silva Coelho Neto, o Professor Zezão (PHS),

“Dinheiro tem, o Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica) é suficiente para dar aumento a todo categoria. O que acontece é que falta vontade política disso acontecer”, diz parte dos áudios que circularam em grupos de WhatsApp nos últimos dias. 

Ainda nesses áudios o presidente da associação afirma que pretendia pedir para que os vereadores não votassem o projeto de reajuste geral para todos os servidores – incluindo os professores – que é 4.31%, enquanto a classe pedia os 12.84% de reposição nos vencimentos determinado pelo governo federal para quem ganha o piso da categoria. 

A Câmara de Vereadores, porém, aprovou em primeira votação o reajuste geral do funcionalismo público na sessão de segunda-fera (2) e deve confirmar a aprovação na próxima semana. 

Já o prefeito Zezão respondeu duramente a fala de Fernando dos Santos e afirmou que o presidente da associação estava “faltando com a verdade ao afirmar que não havia vontade política para o reajuste”. Segundo o gestor, o Fundeb, origem dos recursos federais destinados à educação básica, já começou 2020 deficitário, o que impede o município de conceder um reajuste maior. 

Zezão ainda cita que a prefeitura respeita o piso nacional imposto e que neste ano mais de 120 professores municipais terão progressão de carreira, o que elevará ainda mais os valores destinados ao pagamento da folha da educação. 

VELHO EMBATE

Não é de hoje que os professores municipais têm entrado em rota de colisão com o prefeito Zezão. 

Em agosto do ano passado a prefeitura de Santo Antônio da Platina depositou a primeira parcela do décimo terceiro salário de todos os servidores, exceto os professores da rede municipal. 

A medida gerou revolta na classe e grande repercussão no município, até porque os valores referentes à primeira parcela do benefício chegou a ser colocada no holerite dos professores, porém o pagamento não foi efetivado. Além disso, a falta de diálogo entre a prefeitura e os professores também causou muita reclamação na época e mais uma vez volta a ser ponto de queixa por parte dos servidores. 

Deixe um Comentário