Destaque Santo Antônio da Platina

Reajuste dos subsídios é aprovado; aumento de cadeiras é adiado

Vereadores de Santo Antônio da Platina receberão R$ 4,2 mil a partir de 2021, mas câmara adia decisão sobre aumento de cadeiras

Da Redação


Em sessão tumultuada, realizada na noite desta segunda-feira (24), com um público que lotou as dependências da Câmara Municipal, os vereadores de Santo Antônio da Platina aprovaram, em primeira votação, o reajuste dos subsídios dos atuais R$ 998,00 para R$ 4.250 a partir de janeiro de 2021. Outro projeto em apreciação, que aumenta de nove para 13 cadeiras na Casa, foi retirado de pauta por duas sessões.

Durante toda sessão o público vaiou os vereadores favoráveis ao aumento de subsídios, enquanto que uma pequena parcela apoiava os que se posicionaram pela aprovação dos novos subsídios. No entanto, nada demoveu os legisladores de aprovarem a matéria, que foi decidida pelo voto de “minerva”, do presidente, Ademir Jacob (PHS), que desempatou a votação que estava em 4 a 4.

CRÉDITO: Antônio de Picolli

Com a manifestação do presidente favorável ao aumento dos subsídios, a reação do público foi intensa, obrigando a suspensão dos trabalhos.

A vereadora Mirian Montanheiro (Podemos) foi a mais contundente dos quatro membros da bancada da situação. Ela bateu duro nos opositores, fazendo referência à reação do prefeito José da Silva Coelho Neto, o Professor Zezão (PHS), que se negou a receber o aumento de seu próprio salário, dos atuais R$ 12 mil para R$ 18 mil. Vale salientar que para fazer jus ao aumento ele terá que concorrer e vencer a eleição do ano que vem.

Recomposição

Os vereadores favoráveis ao aumento dos subsídios preferem chamar o reajuste como “recomposição”, já que, segundo eles, devolve os valores pagos até dezembro de 2016, quando uma polêmica acabou reduzindo os vencimentos para um salário mínimo.

Atualmente os vereadores platinenses recebem o menor salário entre as
câmaras legislativas da região, equivalente a um salário mínimo, ou seja,
R$ 998,61. Descontando os encargos, cada um recebe líquidos R$ 918,73.

Pela proposta, o subsídio voltaria aos valores válidos até dezembro de 2016, que era de R$ 3.745,06, acrescido da variação do IPCA, passando a
R$ 4.251,73 a partir de 1º de janeiro de 2021.

A mesma proposta prevê reajustar os atuais subsídios do prefeito e vice-prefeito. No caso do chefe do Executivo, passaria dos atuais cerca de R$ 12
mil para R$ 18 mil, enquanto que o vice sairia do atual salário mínimo, R$
998,61 para R$ 5.500.

Deixe um Comentário