Geral

Proposta para reduzir salários de vereadores causa polêmica

Proposta do comerciante Douglas Schiavo prevê a redução da atual remuneração de R$ 6mil para um salário mínimo

Carlos Roberto Francisquini

Uma proposta, protocolada no dia 25 de maio na Câmara Municipal de Cambará pelo comerciante Douglas Schiavo está causando a maior polêmica no município. Ele sugere quer os nove vereadores da cidade tenham seus salários reduzidos dos atuais R$ 6 mil para um salário mínimo.

O objetivo, segundo o documento protocolado no Legislativo, é “repelir e/ou moralizar a função de ocupantes de cargos eletivos citados, não recaindo os representantes na busca de dinheiro fácil, e sim, que os cargos sejam ocupados por cidadãos que desejam realmente contribuir com a melhoria e a mudança para melhor do município de Cambará”.

Caso seja aprovado pela maioria dos nove vereadores, o projeto passa a valer para a próxima legislatura, mas vem causando forte reação entre os membros do Legislativo que classificam o projeto como demagogia, como afirmou o vereador Rogério Frutuoso (DEM), o Rogerinho do Karatê, como é mais conhecido, em entrevista que concedeu na terça-feira (2), ao programa “Circulando”, do jornalista Roberto Francisquini.

O requerimento conta com quatro páginas e pede ainda o fim das diárias que são liberadas pela mesa diretora aos vereadores para que possam fazer cursos realizados geralmente na capital do Estado.

ASSINATURAS

Douglas Schiavo diz que colheu mais 1.300 assinaturas de membros da comunidade que aprovam a iniciativa, mas estranhamente disse que não vai anexar o abaixo assinado ao requerimento. “Coletamos 541 assinatura pela petição online e mais de 800 escritas, mas nenhuma vai ser apresentada, não vou expor ninguém com nomes e documentos”, disse, “essas assinaturas estão aqui guardadas”, afirmou. Rogerinho, que é vice-presidente da Câmara de Cambará, defende o salário de R$ 6mil para os vereadores de Cambará. Ele classifica como demagogia

Deixe um Comentário