Hospital Regional do Norte Pioneiro

Proibição de acompanhante com pacientes gera polêmica

Não permissão de acompanhantes de pacientes no Hospital Regional atende decreto da Secretaria Estadual de Saúde

Da Redação

A polêmica que se formou nos últimos dias em torno do Hospital Regional do Norte Pioneiro (HRNP), em Santo Antônio da Platina, tem como origem um decreto do governo do Estado. A questão se formou pela restrição imposta na presença de acompanhantes a pacientes da instituição, entretanto a medida é aplicada nos 399 municípios paranaenses.

O assunto ganhou repercussão em redes sociais após queixas de algumas mães que haviam dado à luz há poucos dias no Hospital Regional. De acordo com as queixas, a presença de um acompanhante é um direito garantido por lei e estaria sendo desrespeitado.

“Sabemos da restrição da pandemia, mas ter a acompanhante é um direito, é algo de muita importância para as mães. Desde que seja alguém fora do grupo de risco, não haveria problema nenhum de ter esse acompanhante”, afirma uma das mães.

Outro problema citado, e este mais grave, diz respeito a supostos tratamentos inadequados dado pelas equipes aos pacientes, o que, segundo a reclamação, não aconteceria se houvesse acompanhante. “O acompanhante não só traz mais segurança psicológica à gestante como também de fato exerce uma resistência a eventuais investidas de violência obstétrica”, afirma, relatando que ouviu de outras mães que passaram pela instituição e sofreram com frases inadequadas ditas por alguns dos médicos, sem porém, citar a identidade de pacientes ou médicos que teriam vivido esta situação.

OUTRO LADO

A diretora-geral do Hospital Regional, Ana Cristina Micó, explicou que, como já citado, a medida tem como base um decreto estadual, e rebateu acusações de supostos tratamentos inadequados dados a pacientes.

“Existe sim a lei com relação a acompanhante, mas estamos em estado de calamidade pública decretada pelo Presidente da República, então algumas coisas sofrem alterações em um período de pandemia como o que vivemos agora. Existe um decreto do governo do Estado que proibiu os acompanhantes em hospitais para diminuir o número de pessoas e evitar a transmissão do novo coronavírus. isso vale para todos hospitais do Estado e não apenas aqui”, pontua.

“Sobre algum possível tratamento inadequado dado aos pacientes, a única coisa que posso dizer é que não recebi absolutamente nada a respeito. Temos caixas em todos os corredores do hospital onde os pacientes podem retratar qualquer situação e também a ouvidoria da Secretaria de Saúde do Paraná, que são os canais para quaisquer queixas, mas realmente não existe nada formalizado, então fica difícil falar a respeito”, completa.

Deixe um Comentário