Política

Prefeito ataca jornal e ignora solução para drama de alunos

TRANSPORTE ESCOLAR

Zezão critica Tribuna do Vale por divulgar informação sobre abuso sexual contra menor em ônibus da prefeitura

Da Redação

Foto: Antônio de Picolli

O prefeito José da Silva Coelho Neto (PHS), o Professor Zezão, como é mais conhecido, mais uma vez ocupou espaço na Rádio Difusora FM, no programa do jornalista Juninho Queiroz e, ao invés de apresentar propostas para melhorar o sistema de transporte de alunos em Santo Antônio da Platina, preferiu atacar o jornal Tribuna do Vale, que na edição de terça-feira, 19, divulgou informação sobre violência sexual no interior de um ônibus da prefeitura, em que a vítima foi uma criança de 8 anos.

O jornal preservou a identidade da criança e seu agressor, um adolescente de 15 anos, a linha de transporte escolar, identificação do veículo e seu condutor respeitando o sigilo das investigações imposto pela legislação nesses casos.

Porém,a divulgação da ocorrência teve a preocupação de alertar as autoridades e os pais de alunos sobre os riscos que seus filhos correm ao serem transportados em veículos da prefeitura ou terceirizados sem a presença de monitores, função criada juntamente para preservar a integridade dos estudantes, principalmente crianças pequenas.

Oque chama atenção é que o prefeito, ao invés de apresentar soluções para um gravíssimo problema, prefere atacar o jornal e o jornalista autor da reportagem, tentando demonstrar que ambos teriam cometido ilegalidade, como se profissional e veículo de comunicação tivessem transgredido a lei.

Festival de irregularidades

O prefeito dá a impressão que está pouco se importando com a segurança de centenas de alunos transportados diariamente por dezenas de veículos do Município ou frota terceirizada. Não se sensibiliza com o desespero de uma mãe,a trabalhadora Daniele Cristina Medeiros, que assiste diariamente o sofrimento da filha de quatro anos impedida de estudar porque a prefeitura não disponibiliza um monitor no ônibus que faz a linha de seu bairro.

Mantém-se inerte ante um festival de irregularidades envolvendo o transporte escolar,como por exemplo, os veículos que transportam alunos da zona rural, mas que proporcionam caronas a pessoas estranhas ao meio, o que é proibido por lei;ônibus com capacidade para 30 lugares, transportando três a quatro alunos,operação que poderia ser realizada por veículo, deixando de onerar os contribuintes.

Deveria atentar-se ao fato de que o diretor de transporte usa veículo público, para café da manhã, almoço e, pior, agindo de forma omissa quando instado a corrigir irregularidades.

Vale ressaltar, ainda, o caso da Escola Noêmia, da Vila Rica, cujos alunos, em razão do atraso das reformas do prédio, são obrigados a estudar na Escola Agrícola,via de regra, um matagal com sérios riscos aos estudantes. Vale assinalar,também, que esses alunos são transportados por terceirizados, como se transportassem alunos da zona rural.

Críticas

Na sessão de segunda-feira à noite, o vereador Jose Jaime Mineiro (PSDB) fez duras críticas à gestão do transporte escolar, lembrando a desumanidade com alunos obrigados a deixar as salas de aula porque a prefeitura não disponibiliza monitores para cuidas dos alunos.

Deixe um Comentário