Japira

População de distrito reclama de abandono

Prefeito diz que assumiu prefeitura em situação caótica, quadro agravado com bloqueio de vereadores

Da Redação



A comunidade do Distrito Novo Jardim, se diz abandonada e sofrendo com o descaso do poder público. Ruas sem condições de tráfego; esgoto a céu aberto; posto de saúde sem atendimento; falta de água nas residências, são algumas das reclamações dos moradores, relatadas em um texto acompanhado e imagens enviados à Tribuna do Vale.

Segundo o relato, os moradores estão cansados de pedir, até mesmo socorro para o prefeito do município, Angelo Vigilato (PSC), mas os problemas persistem. “Aqui em nosso bairro a prefeitura não faz porque não quer. O uso de maquina de terraplanagem e caminhões de cascalho já resolveria parte do problema. Nosso posto de saúde esta sem atendimento porque a única enfermeira que atende  está de férias. Quando falamos ao prefeito Angelo Vigilato sobre o problema ele diz que é pra chamar o Samu”, reclamam os moradores. 

Segundo o relato dos moradores, as fossas das casas estão cheias devido às chuvas e vasando dejetos pelas ruas. “A prefeitura não manda o limpador de fossa, estamos abandonados. O distrito fica a mais de 20 quilômetros de Japira e nem um carro da saúde fica de plantão aqui no bairro”, complementa os moradores indignados. 

Segundo imagens fornecidas pela comunidade, é perceptível a dificuldade dos moradores em sair de suas casas por conta da situação das ruas. “Procuramos o prefeito, mas ele sempre argumenta que está difícil de atender todo mundo. Com isso ficamos aqui, abandonados”, diz o texto.  

A falta de água no bairro acontece com frequência devido a pequena capacidade do único poço que existe no bairro. Segundo informações dos moradores a única possibilidade de resolver esse problema é o município transferir para a Sanepar a exploração dos serviços de água e esgoto da comunidade. A sugestão teria sido levada ao prefeito, mas os moradores afirmam que o administrador descartou esta hipótese alegando que a baixa rentabilidade da concessão inviabilizaria um contrato com a estatal. “Isso é o que o prefeito disse em áudio enviado a um morador do distrito. Não sabemos mais como fazer, estamos cansados, precisamos de ajuda com urgência ou vamos ficar isolados”, reclama outro morador.

Situação caótica

O prefeito Angelo Vigilato, em entrevista por telefone, reconhece a situação caótica em que se encontra não só o Distrito de Novo Jardim, mas vários setores do município. Ele atribui a situação de penúria como resultado do quadro político em que a cidade vice. “Japira teve seis prefeitos em dois anos. Isso agravou ainda mais a situação”, reconhece.

Sobre as reclamações dos moradores, Vigilato reconhece como justas todas as reivindicações. Ele conta que um dos problemas, a situação de abandono das ruas, poderia ter sido solucionado com um projeto de calçamento, mas o pedido de financiamento para realizar as obras foi rejeitado pelos vereadores de oposição, que são maioria no Legislativo. Dos nove membros, apenas dois vereadores são da base do prefeito.

Outros dois pontos abordados pelos moradores, a falta de pessoal no posto de saúde e abastecimento de água e vazamento de foças, mais uma vez Angelo Vigilato reconhece os problemas. Sobre o sistema de saneamento, ele diz que a concessão no município é da Sanepar, que já deveria ter resolvido o problema, já que o distrito é considerado zona urbana.

O prefeito diz que vem negociando tanto com a regional da Sanepar em Santo Antônio da Platina, como na sede, em Curitiba, mas sem sucesso. “Incrível que a estatal perfurou um poço no distrito, mas seu planejamento é de coloca-lo em operação somente em 2023. Enquanto isso, a população sofre com falta d’água”, lamentou.

Sobre o posto de saúde, o prefeito diz que, com as férias da única funcionária que atende a população, a unidade está fechada. Ele alega que não tem como deslocar da sede do município alguém para suprir a demanda.  

Deixe um Comentário