Santo Antônio da Platina

População culpa prefeitura por avanço dengue em Santo Antônio da Platina

 Moradores prometem levar caso à Polícia Civil e ao Ministério Público se medidas emergenciais não forem anunciadas

Moradores registram pilhas de lixo espalhadas por toda a cidade
CRÉDITO: Divulgação

Luiz Guilherme Bannwart


Moradores de Santo Antônio da Platina culpam a prefeitura da cidade pelo aumento desenfreado nos casos de dengue no município. Segundo os denunciantes, o recolhimento de galhos e entulho e a fiscalização para notificar e multar proprietário de imóveis em situação irregular são precários e nenhuma medida emergencial foi anunciada até o momento pelo Executivo para resolver os problemas.

Nos últimos dias a Tribuna do Vale e o Tá no Site receberam dezenas de imagens que retratam a realidade em toda a cidade. São amontoados de lixo e entulho à espera de recolhimento que, segundo os moradores, diante da situação crítica que vive o município, sob o risco iminente de uma epidemia de dengue, merecia atenção especial por parte do poder público.

“A prefeitura diz que os moradores devem respeitar o cronograma de recolhimento de galhos e entulho, mas diante do cenário atual da dengue na cidade o trabalho deveria ser diário, pois a própria prefeitura cobra para que façamos a nossa parte. É muita incoerência!”, observa o auxiliar de serviços gerais Marcos de Oliveira Amaro.

Uma semana após denúncia de moradores, terreno no centro da cidade ainda oferece risco à população
CRÉDITO: Divulgação

Na semana passada moradores denunciaram a falta de manutenção em um imóvel na área central da cidade, que concentra entulhos e objetos que servem como criadouros para a reprodução do mosquito transmissor da dengue. O proprietário foi notificado pela prefeitura, mas uma semana depois o local continua do mesmo jeito, ou talvez pior, pois com a chuva dos últimos dias e o calor intenso registrado no município a situação se agrava ainda mais.

Outro caso semelhante ocorre na rua 24 de Maio. O volume de objetos que servem como criadouro do Aedes aegypti preocupa moradores vizinhos. Um deles, que pediu anonimato, disse que já havia comunicado o problema à prefeitura e que nesta quarta-feira (19) iria formalizar a denúncia por meio do telefone 156, conforme orientado, mas prometendo levar o caso à Polícia Civil e ao Ministério Público Estadual (MPPR) caso nada seja feito. “Não vejo iniciativa por parte do Setor de Fiscalização do município, ninguém é multado nesta cidade por fazer coisa errada. Trata-se de um problema sério de saúde pública, mas os responsáveis parecem não estar nem um pouco preocupados. De que adianta fazer mutirões?”, questiona.

Outro lado

Procurado pela reportagem, o secretário municipal de Obras Everton José Panigada reconheceu a gravidade do problema, porém, disse que a responsabilidade pelas sanções aos infratores é do Setor de Fiscalização da prefeitura, assim como as ações estratégicas devem partir da Secretaria Municipal de Planejamento. “A secretaria de Obras tem feito o possível para atender as demandas a respeito da dengue. Contudo, devo me reunir ainda hoje (ontem) com o prefeito para discutirmos o problema, e a partir de manhã faremos uma força-tarefa para recolher o lixo na cidade”. 

Em contato com o Departamento Municipal de Fiscalização, a reportagem foi informada que o responsável pelo Setor, Janderson Figueiredo, ou o secretário municipal de Planejamento Airton Sérgio Diniz retornaria para os esclarecimentos necessários, o que não ocorreu até o fechamento desta edição.

Deixe um Comentário