Arapoti Policial

Polícia Civil prende envolvidos em assassinato de comerciante

Responsáveis foram identificados e presos, mas motivação do crime ainda não foi totalmente esclarecida

O delegado Gumercindo Athayde afirma que o inquérito está próximo de ser concluído
CRÉDITO: Ana Cláudia Pereira

Ana Cláudia Pereira, especial para a Tribuna do Vale


A Polícia Civil prendeu os responsáveis pela morte do comerciante Rupércio de Paula, 47, conhecido por ‘Keko’, assassinado no dia 29 de dezembro, em Arapoti. Uma jovem de 21 anos e um homem de 37 anos foram presos na cidade na última quarta-feira (9), e um adolescente de 17 anos apreendido no mesmo dia na área rural de Jaguariaíva.

‘Keko’ era vendedor de produtos importados, e figura bastante conhecida na cidade. Seu corpo foi encontrado no bairro Aratinga com sinais de facadas e atropelamento. A jovem e o adolescente confessaram o crime, porém, há versões diferentes sobre o ocorrido, e a participação do terceiro envolvido no crime ainda não foi esclarecida pela investigação.

De acordo com a Polícia Civil, a mulher afirma que o adolescente assassinou a vítima por ciúmes, pois ela estaria mantendo um relacionamento com ambos. A suspeita disse que na noite do crime teria marcado um encontro com o comerciante, mas o adolescente descobriu e foi até o local acompanhado de um homem, onde atacou a vítima com várias facadas. Em seguida, o rapaz de 17 anos ainda teria passado com o carro por cima do corpo do vendedor e obrigado a mulher a entrar no veículo.

Já na versão do adolescente à polícia, a mulher premeditou o crime. Conforme declarou, ele e a jovem planejavam vender os bens da vítima. A mulher teria o avisado sobre o local onde estaria com a vítima, para que ele cometesse o assassinato.

Durante coletiva à imprensa na tarde desta quinta-feira (10), o delegado Gumercindo Athayde informou que o inquérito policial deve ser concluído em breve. “Estamos com os celulares dos suspeitos apreendidos para verificar o conteúdo das mensagens trocadas, e também representei perante o poder judiciário pela quebra de sigilo dos aparelhos para acessarmos o conteúdo das ligações feitas até o dia anterior ao crime”, disse o policial.

Investigações

Conforme as investigações, após o assassinato, a jovem, o menor e o homem que o acompanhava teriam ido até a casa de um morador da cidade para tentar vender o carro em que estavam.

A mulher e o homem presos preventivamente, assim como o menor apreendido estão à disposição da Justiça. A Polícia Civil aguarda o resultado de laudos periciais da faca e outros objetos encontrados no local do crime.

Deixe um Comentário

%d blogueiros gostam disto: