Jacarezinho

Polícia Civil desvenda morte de adolescente em Jacarezinho

Com informações de Tabajara Notícias


A Polícia Civil de Jacarezinho, em menos de 24 horas, elucidou homicídio ocorrido na noite de quinta-feira (7), por volta das 22:30 horas, que vitimou o adolescente José Renato, de 16 anos, que se envolveu em uma briga com um travesti, de 29 anos de idade.

A Polícia Militar foi acionada para atender a ocorrência em que um menor havia sido vítima de golpes de faca. Quando chegaram ao local o garoto já havia sido socorrido pela equipe de resgate do SAMU e encaminhada à Santa Casa, onde foi contatado que o adolescente não resistiu aos ferimentos e entrado em óbito.

Imediatamente após o fato a Polícia Civil iniciou investigações para chegar a autoria do delito. Uma testemunha de 15 anos que informou que estava na companhia da vítima no momento do crime, quando o suspeito teria iniciado uma discussão, desferindo um soco e, em seguida, sacado de uma faca, golpeando o adolescente na região do tórax.

Os policiais conseguiram levantar filmagens de circuitos internos de
monitoramento por câmeras que flagraram toda a ação do suspeito, não restando dúvidas com relação a sua participação no evento criminoso.

Na tarde de sexta-feira (8), o suspeito se apresentou na Delegacia de Polícia, na presença de seu advogado, informando que a discussão teria se iniciado em razão do fato de ele ter advertido a vítima para não permanecer no local, pois esta seria menor de idade e não poderia ficar “se prostituindo” no local.

A delegada que responde pelo caso, Carolinne dos Santos Fernandes, destacou que a Polícia Civil agiu rapidamente no caso, ouvindo todas as partes envolvidas e elucidando o caso com o interrogatório do suspeito que se apresentou espontaneamente, tudo isso em menos de 24 horas, faltando apenas algumas diligências complementares para encerrar o inquérito policial  que será encaminhado o caso ao Poder Judiciário.

Drama familiar 

Como senão bastasse a dor da perda de um ente querido na flor de seis 16 anos, brutalmente assassinado no centro de Jacarezinho, a família do adolescente José Renato teve que esperar mais de 13 horas para que o Instituto Médico Legal (IML) liberasse o corpo da vítima para ser velado pela família.

O garoto foi assassinado por volta das 22:30 da noite de quinta (7), mas até as 11:00 horas da manhã de sexta (8), o médico legista ainda não havia chagado para realizar a autópsia do corpo.

A família também chamou a Policia Militar que esteve no local, e, após muita insistência por parte dos familiares e do repórter do site Tabajara Notícias, que acompanhou todo o drama dos familiares,, o funcionário do IML novamente ligou para o médico que chegou logo em seguida.

O profissional, reconhecido pelo nome de Dr. Paulo não quis gravar entrevista, mas atendeu a reportagem cordialmente, relatando que o IML de Jacarezinho que atende 22 cidades da região, está em situação precária, com falta de médicos legistas e profissionais de outros setores, Até material para trabalho chega a faltar, além de vários problemas no prédio, que segundo ele, também atrapalham o serviço.

O médico relatou ainda que já está de plantão há mais de uma semana, e que teria deixado o trabalho para o descanso por volta das 2h30 da madrugada, após realizar a autópsia em uma vitima de enforcamento, e que as pericias são realizadas até às 23 horas. Segundo ele, a falta de médicos legistas está dificultando o trabalho e o atendimento a população. 

A importância do IML no Norte Pioneiro é incontestável, aguardamos uma resposta dos poderes em relação ao bom funcionamento e atendimento as famílias que precisem

Deixe um Comentário