Eleições 2020 Santo Antônio da Platina

Pedro Claro vai indicar o vice do PSD na chapa com Flávio Maiorky

Recuperado de cirurgia cardíaca, ex-prefeito tem o aval do governador Ratinho Junior para formalizar aliança pela sucessão em Santo Antônio da Platina

Pedro Claro, primeiro à esquerda, com Flávio Maiorky e Pedro Lupion, após reunião que definiu o acordo pela sucessão municipal

Da Redação


Reunião realizada no escritório do deputado federal Pedro Lupion (DEM), que terminou no início da noite desta sexta-feira (28), com várias lideranças partidárias de Santo Antônio da Platina, selou o acordo pela sucessão municipal. Depois de conversas com o governador Ratinho Junior (PSD) e seu chefe de gabinete, o platinense Daniel Vilas Boas, ex-prefeito Pedro Claro de Oliveira Neto (PSD), convalescente de uma cirurgia cardíaca recente, será o membro do partido responsável pela indicação do pré-candidato a vice na chapa liderada pelo ex-prefeito Flávio Luiz Maiorky (PSDB).

O anúncio põe fim à especulações que nos últimos dias agitaram os bastidores da política local. Primeiro foi a viagem à Curitiba do pré-candidato do PTB, Gil Martins, na companhia do ex-vereador, professor Aguinaldo do Carmo (PSD), postulando a vice numa eventual chapa encabeçada pelo petebista.

A frustrada tentativa, barrada pelo chefe de gabinete do governador Daniel Vilas Boas, fez nascer um outro balão de ensaio, o auto lançamento da pré-candidatura de Professor Aguinaldo, que manifestou, na quinta-feira (27), a disposição de apresentar seu nome à convenção do PSD. Ocorre que ele não tem lastro partidário para impor seu nome na disputa interna dos pessedistas.

O platinense Daniel Vilas Boas, chefe de gabinete e amigo pessoal do governador Ratinho Junior, é genro do ex-vereador Valdir Domingos de Souza (PSD), o Valdir do Foto, que chegou a ser cotado numa eventual dobradinha com Pedro Claro que, em razão dos problemas de saúde, foi sugerido a assumir a cabeça de chapa, o que acabou não acontecendo com a ascensão de Flávio Maiorky, habilitado pela justiça para concorrer a prefeito.

A briga pelo controle do apoio do PSD, segundo fontes da política local, envolveu até o grupo do atual prefeito, José da Silva Coelho Neto (Podemos), que é pré-candidato à reeleição.

No entanto, o maior ônus desta briga na pré-disputa coube ao petebista Gil Martins, que descartou o pré-candidato a vice, Celso Schmidt (PSD), de olho gordo numa provável dobradinha com o PSD do governador Ratinho Junior. Ele não contava com o prestígio e respeito que o Pedro Claro tem na cúpula do poder paranaense.

Deixe um Comentário