Ibaiti

Parque da Mina Velha sofre com abandono

Com falta de conservação, vandalismo e projeto arquivado há 18 anos, a centenária mina de carvão segue rumo às ruínas  


Escoras podres na mina de carvão oferecem risco de desabamento
CRÉDITO: Marcos Almeida

Dayse Miranda, especial para Tribuna do Vale


O Parque Ecológico Mina Velha, de Ibaiti, já foi um dos pontos mais visitados na região do Norte Pioneiro, mas ano após ano só vem sofrendo com abandono, desgaste e vandalismo. O local que abriga a única mina de carvão desativada e aberta para visitação em todo Paraná, tem um projeto de recuperação da estrutura arquivado há 18 anos.

Nesse ritmo, com o abandono do poder público, a centenária mina de carvão e o parque de aproximadamente 1,8 Km2 seguem rumo às ruínas, e oferecendo riscos aos visitantes.

No trajeto, são árvores caídas, gradil de segurança quebrado, placas de sinalização danificadas pela ação dos vândalos e pior, o madeiramento que escora as paredes da mina de carvão está visivelmente podre, oferecendo risco de desabamento – colocando em risco a vida dos turistas que adentram no local.

No caminho do parque, árvores caídas denunciam a falta de conservação no local
CRÉDITO: Marcos Almeida

Um dos denunciantes que esteve no último final de semana no parque é o artista plástico Marcos Almeida. “Sou responsável pela página Explorando Norte Pioneiro e sempre dou dicas de visitação para os turistas que querem conhecer mais da nossa região. Mas chegando ao parque fiquei muito triste e envergonhado da precariedade do local. Nem o banheiro do parque está sendo mantido, está tudo completamente abandonado”, denunciou.

Almeida ainda detalha que há risco também na descida até a cachoeira, devido ao madeiramento podre.

Gradil de segurança quebrado
CRÉDITO: Marcos Almeida

O Parque Ecológico vem sendo desgastado com ação de vândalos desde 2016. A imagem de Nossa Senhora de Lourdes, que ficava na gruta do parque, foi alvo de vandalismo na época. Segundo informações foi levada para restauração, mas não voltou mais para o parque. As denúncias comparadas há quatro anos se repetem, são os mesmos problemas e quem sofre com o “desgoverno” é o ponto turístico, é a economia local e é o município que deixa de receber turistas.

A equipe de reportagem entrou em contato com o membro da Atunorpi (Associação Turística do Norte Pioneiro), João Golveia. Segundo ele, a entidade tem Ibaiti e outros 15 municípios que compõe a associação, e para cada cidade há um banco de projetos para saber a real demanda. Diante disso, promovem a realização de visitas técnicas.

Em se tratando do Parque Ecológico da Mina Velha, Golveia detalha que atualmente existem dois projetos de revitalização, um deles frente à reestruturação da mina de carvão (que está com a estrutura comprometida) e outro projeto voltado para o parque. Porém, um dos projetos em questão, que visa a recuperação da centenária mina de carvão, está arquivado há 18 anos e precisa ser atualizado frente às suas novas necessidades.

Golveia aponta que a reforma fica em torno de R$ 4 milhões a R$ 8 milhões para que de fato seja colocado em prática todos os planos documentados. Com isso, haveria um potencial turístico muito grande para o município. “Acreditamos que é possível sim colocar esse projeto em prática. Precisamos de pessoas especializadas para atualizar este projeto que dispõe de planta, mapa da mina, é um projeto fantástico, mas acreditamos que seja possível futuramente”, disse.

A equipe de reportagem tentou entrar em contato com o diretor do Departamento de Cultura e Eventos, José Gilso dos Santos, mas o telefone de sua pasta não atendeu nenhuma das ligações para esclarecimentos sobre o total abandono com o ponto turístico em questão. 

Deixe um Comentário