Jacarezinho

Parentes e amigos de vítima de estupro cobram por justiça

Adolescente de 17 anos diz que foi dopada e violentada sexualmente na noite de domingo durante uma festa particular na cidade

Amigos e parentes da adolescente que denunciou ter sido estuprada protestou na noite de terça-feira
CRÉDITO: Claubinho Souza – Banda B

Luiz Guilherme Bannwart


Parentes e amigos da adolescente de 17 anos que alega ter sido dopada e estuprada durante uma festa particular na noite de domingo (2), em Jacarezinho, fizeram uma manifestação na noite de terça-feira (4) na área central da cidade para cobrar por justiça.

O grupo se concentrou na rua Padre Mello, em frente ao local onde supostamente teria ocorrido o crime, e percorreu a pé algumas ruas da cidade, passando em frente ao prédio da 12ª Subdivisão Policial, até a Catedral Imaculada Conceição na avenida Getúlio Vargas. Os manifestantes empunhavam cartazes com palavras de ordem e gritavam pedindo punição ao homem acusado pela violência sexual contra a adolescente.

A vítima participava de uma festa na casa de amigos na noite de domingo, quando passou mal. Ela disse em depoimento à polícia que desmaiou, e que quando acordou percebeu que estava em um quarto, em outra casa, com um homem nu em cima dela praticando o estupro.

A adolescente contou ainda que aproveitou um momento de desatenção do estuprador para fugir pelo portão da garagem da casa, que estava aberto. Nua e suja de sangue, a vítima gritou por socorro e foi acolhida por vizinhos, que chamaram a Polícia Militar.

A PM chegou ao local do crime pouco tempo depois de ser acionada e prendeu o acusado em flagrante. Ele foi levado para a Delegacia de Polícia Civil e, segundo apurou a reportagem, foi transferido para outra cadeia da região por questão de segurança.

A adolescente recebeu atendimento médico e um coquetel contra doenças sexualmente transmissíveis. Segundo parentes, ela deve passar por exames de corpo de delito no Instituto Médico-Legal (IML) de Jacarezinho para confirmar o estupro.

O acusado é amigo do pai da vítima e estava na festa que a adolescente participava com amigos. Ele teria justificado o fato de ser próximo à família para ‘socorrer’ a jovem depois que ela passou mal. 

A polícia acredita que alguém colocou algum tipo de droga (conhecida por ‘Boa noite Cinderela’) na bebida da adolescente. O caso é investigado pela 12ª Subdivisão Policial.

Deixe um Comentário