Policial

Paraná registra redução de 80 crimes patrimoniais por dia

Redução aconteceu em 22 das 23 Áreas Integradas de Segurança Públic; crime teve queda média de 10%

No primeiro semestre, o Paraná teve 5.960 ocorrências de furtos a menos que no mesmo período de 2019
CRÉDITO: AEN

Curitiba – Agência Estadual


O Paraná reduziu o número de ocorrências de crimes contra o patrimônio durante o primeiro semestre deste ano, se comparado com o mesmo período do ano anterior. Foram 14.617 ocorrências de crimes patrimoniais a menos de janeiro a junho de 2020, resultando, em média, 80 ocorrências a menos por dia no Estado em relação a 2019. A informação foi divulgada em Relatório Estatístico Criminal da Secretaria de Estado da Segurança Pública, na segunda-feira (07).

A redução aconteceu em 22 das 23 Áreas Integradas de Segurança Pública (AISP) – forma como o estado é dividido para análise criminal. Laranjeiras do Sul e região, que compõem a 8ª AISP, foi a área que teve maior queda percentual nos crimes patrimoniais, resultando em 22,8% menos ocorrências.

Em todo o Paraná, o crime teve queda de 10%. “O crime reduziu em boa parte do Estado e isso é reflexo de um trabalho contínuo que estamos desenvolvendo frente à Secretaria da Segurança Pública”, diz o secretário Romulo Marinho Soares. “Nossas ações estão sempre com foco nas boas práticas e na integração entre os órgãos de segurança e acreditamos que, assim, iremos conseguir, cada vez mais, alcançar bons índices de redução da criminalidade”, enfatiza.

Em números absolutos, a 1ª AISP do Estado, que abrange toda a região de Curitiba, teve 3.503 ocorrências de crimes patrimoniais a menos no período. De janeiro a junho de 2019 foram 37.812 registros, contra 34.309 no mesmo período deste ano – uma redução de 9,2%.

“Nos preocupamos não somente com a redução dos números, mas também com a sensação de segurança da população. Mais viaturas nas ruas, policiais mais bem preparados e alto índice de elucidação dos crimes são fatores que colaboram para que todos se sintam mais seguros em viver no Paraná”, completa o secretário Marinho.

ROUBOS

Se contabilizado somente o número de registros de roubos, a redução foi de 25,7% nos seis primeiros meses deste ano. Foram 18.996 ocorrências de janeiro a junho de 2020, 6.582 a menos que as 25.578 registradas no mesmo período de 2019.

A queda nas ocorrências de roubos foi registrada praticamente todas as regiões do Estado. Das 23 Áreas Integradas de Segurança Pública apenas duas tiveram aumento no período: 18ª AISP, que engloba Apucarana e região (4,5%) e 23ª AISP, que corresponde a Jacarezinho e região (4,3%).  

FURTOS

No primeiro semestre, o Paraná teve 5.960 ocorrências de furtos a menos que no mesmo período de 2019. De janeiro a junho de 2020 foram 72.488 ocorrências deste crime em todo o Estado, contra as 78.448 do primeiro semestre de 2019.

Das 23 Áreas Integradas de Segurança Pública, 21 tiveram queda no número de furtos de janeiro a junho deste ano em comparação com o mesmo período do ano anterior. Dentre as duas que não estão na lista de diminuições está a 2ª AISP, que compõe o município de São José dos Pinhais e Região Metropolitana de Curitiba, que se manteve estável, com um leve aumento de 0,8% nas ocorrências do crime. A 21ª AISP, correspondente a Cornélio Procópio e região, também teve aumento de 6,9% no período ou, em números absolutos, 76 registros a mais.

NOVA ESTRATÉGIA

O comandante-geral da Polícia Militar, coronel Péricles de Matos, ressaltou que a queda nos índices já havia sido trabalhada e obtida no ano passado. “Iniciamos o ano de 2020 com uma nova estratégia de policiamento, voltada exclusivamente para a presença das equipes policiais e do reforço no policiamento dos bairros”, explicou.

“Paralelo a isso, desenvolvemos várias operações, tanto na Capital quanto no Interior, direcionadas na repressão do crime organizado e, principalmente, ao combate ao narcotráfico. A estatística é clara ao mostrar que quando combatemos o narcotráfico, os crimes que chamamos de crimes satélite, principalmente o furto e o roubo, que são conexos ao narcotráfico, reduzem exponencialmente”, completou.

Deixe um Comentário