Paraná

Paraná realiza primeiro transplante de pulmão no Estado

De: Secretaria de Saúde do Paraná


Referência em doações e transplante de órgãos, o Paraná acaba de realizar o primeiro transplante de pulmão no Estado. O procedimento foi realizado pelo Hospital Angelina Caron (HAC), localizado em Campo Largo, região metropolitana de Curitiba.

“O Estado do Paraná se mantém em uma posição de liderança constante nos rankings nacionais e internacionais de doações e transplantes de órgãos. Para nós é um imenso orgulho podermos contar com a generosidade e amor dos paranaenses que continuam doando e fazendo com que o Estado seja referência em salvar e melhorar a qualidade de vida de tantas pessoas”, disse o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

Reinaldo Ferreira de Goes, 57 anos, estava há dois anos na fila de espera por um pulmão. Esposa e mãe de seus quatro filhos, Valdelice Goes percorreu mais de 73 quilômetros da Lapa até Curitiba com o marido para realizar a cirurgia na última terça-feira (17). “Ele teve um enfisema pulmonar que desencadeou esse quadro mais grave de dificuldade de respirar por falta de oxigênio. Tenho cuidado dele desde então. Estávamos na fila e colocamos nas mãos de Deus, foi uma surpresa quando nos ligaram”, comentou.

Até o momento o Paraná não tinha o serviço de transplante de pulmão credenciado. Este transplante tem peculiaridades distintas dos demais procedimentos. O médico Frederico Barth, responsável técnico do Serviço de Transplante Pulmonar do HAC, explica o processo. “É complexo e tem algumas particularidades fundamentais para a recuperação pós-cirúrgica. Além da compatibilidade sanguínea, os pulmões doados devem estar sem sinais de infecção ou indícios de lesões por trauma, e serem compatíveis em tamanho com o receptor. Esses detalhes são fundamentais, por isso a importância da conscientização e busca no aumento das doações de órgãos”.

Sobre o avanço nesta aérea, Barth explica as medidas que o hospital tomou para poder realizar este fato inédito. “Há cerca de dois anos, o hospital teve o credenciamento do Ministério da Saúde para esse tipo de transplante. Desde então passamos por vários processos para que estivéssemos aptos. Isso incluiu o treinamento dos profissionais, capacitações hospitalares, aquisições de materiais específicos e a preparação dos pacientes para a cirurgia”, finalizou.

DADOS – Segundo a Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO), no ano passado foram realizados 121 transplantes de pulmão no país e de janeiro a setembro deste ano, 72. Apenas três Estados estavam aptos para o procedimento (São Paulo, Rio Grande do Sul e Ceará), somando seis equipes atuantes.

Uma série histórica divulgada pela instituição aponta que em dez anos o Brasil realizou 856 transplantes deste tipo. Ainda segundo a ABTO, 199 pessoas aguardam na fila de espera por um pulmão no país, oito são do Paraná.

TRANSPORTE AÉREO – Para que tudo isso fosse possível, o órgão precisou ser transportado de Foz do Iguaçu até a capital do Estado pelo helicóptero do Governo em uma ação integrada da Divisão de Transporte Aéreo da Casa Militar e Grupo de Operações Aéreas da Polícia Civil do Paraná (GOA/PCPR) e articulada em apoio ao Sistema Estadual de Transplantes (SET/PR).

A coordenadora do SET/PR, Arlene Terezinha Cagol Garcia Badoch, explica o motivo da necessidade de apoio aéreo em casos como este. “O tempo de isquemia do pulmão é similar a um transplante cardíaco, de quatro a seis horas no máximo, por isso a necessidade de transportarmos o órgão imediatamente o quanto antes”.

RECUPERAÇÃO – Segundo informações do HAC, o paciente está se recuperando bem após a cirurgia e já respira sem auxílio de equipamentos. Ele permanece em observação e cuidados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital.

HISTÓRIA – Fundado em 2000, o Hospital Angelina Caron é um centro médico-hospitalar de referência no Sul do Brasil e um dos maiores parceiros do Sistema Único de Saúde (SUS) no Paraná, realizando anualmente, 2,07 milhões de procedimentos em pacientes de todo o país, sendo 93% pelo SUS. Atua em todas as vertentes da medicina e é um centro tradicional de fomento ao ensino e à pesquisa. O Serviço de Transplantes de Órgãos é um dos mais destacados, reconhecido internacionalmente, o HAC realizou 252 transplantes em 2018. Segundo dados do SET, o hospital foi a instituição com mais procedimentos feitos no Estado.

Deixe um Comentário