Paraná Saúde

‘Paraná não tem tempo a perder com discussões políticas’, diz Ratinho Junior após não assinar carta aberta de governadores

Gestores de 20 estados manifestaram apoio aos presidentes do Senado e da Câmara dos Deputados por meio de carta que contestou críticas do presidente Jair Bolsonaro.

O governador Ratinho Junior (PSD) foi um dos sete gestores que não assinou carta aberta — Foto: Aen/Divulgação

Por G1 PR


O governador do Paraná, Ratinho Junior (PSD), disse nesta segunda-feira (20) que o estado “não tem tempo a perder com discussões políticas”. A afirmação foi feita após Ratinho não participar de uma carta de apoio aos presidentes do Senado e da Câmara dos Deputados assinada por governadores de 20 estados.

Na carta, os gestores manifestaram apoio à atuação do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para atender as necessidades dos estados em meio à crise causada pelo novo coronavírus.

Por meio de nota divulgada nesta segunda-feira, Ratinho disse que a prioridade é enfrentar a pandemia, buscando medidas para minimizar impactos na saúde e na economia. Leia a nota na íntegra mais abaixo.

Além de Ratinho Junior, não participaram da carta aberta os governadores:

  • Gladson Cameli (Acre)
  • Wilson Lima (Amazonas)
  • Ibaneis Rocha (Distrito Federal)
  • Romeu Zema (Minas Gerais)
  • Coronel Marcos Rocha (Rondônia)
  • Antonio Denarium (Roraima)

A carta

No documento, os governadores criticaram declarações feitas pelo presidente Jair Bolsonaro referentes a Maia e Alcolumbre.

Segundo os governadores, as declarações do presidente afrontam princípios democráticos.

Os gestores elogiaram a atenção que os presidentes do Senado e da Câmara dos Deputados têm dado aos estados e municípios e afirmaram pautar ações do enfrentamento à pandemia pela ciência.

Ainda na carta, os governadores disseram que é fundamental superar diferenças por meio do “diálogo democrático e desprovido de vaidades”.

Leia a nota na íntegra de Ratinho Junior

“Neste momento, a prioridade é enfrentar da melhor maneira esta pandemia, que tem desafiado a todos a buscar medidas que minimizem os impactos na saúde e na economia.

Nossa obrigação, como gestores, é dar suporte ao povo brasileiro, especialmente às classes mais carentes.

O Paraná não tem tempo a perder com discussões políticas.

Juntos entramos nesta crise. Juntos dela sairemos. O momento é de união.”

Deixe um Comentário