Santo Antônio da Platina

Oficina será investigada após motor de ambulância fundir com paciente

Veículo permaneceu dois meses na manutenção ao custo de R$ 12,8 mil à prefeitura

Ambulância fundiu o motor na primeira viagem, após dois meses na oficina ao custo de R$ 12,8 mil
CRÉDITO: Marcelo Borges – Banda B

Luiz Guilherme Bannwart


A Secretaria Municipal de Saúde de Santo Antônio da Platina vai abrir procedimento para investigar os serviços prestados por uma oficina mecânica na manutenção da frota de veículos da prefeitura. A informação é da secretária da pasta, Gislaine Galvão, após ser questionada sobre a manutenção em uma ambulância do município que fundiu o motor na quinta-feira (5), em Curitiba, obrigando o paciente esperar cinco horas por outro transporte.

Conforme apurou a reportagem, o veículo permaneceu por cerca de dois meses na oficina e a manutenção custou R$ 12.865,20 aos cofres do município. “O fato chamou a atenção do encarregado do Setor de Transportes da Secretaria Municipal de Saúde (Willian Cabral), que me comunicou imediatamente. Vamos investigar o que ocorreu para esclarecer à população”, disse a secretária de Saúde.

O problema com a ambulância de Santo Antônio da Platina aconteceu no fim da manhã de quinta-feira na rua Brigadeiro Franco – Centro de Curitiba. O paciente havia recebido atendimento médico e retornava para casa quando o motor do veículo fundiu, segundo informação prestada à imprensa local pelo motorista Roberto Pimentel.

Apesar de aguardar cinco horas para ser transportado a uma Casa de Apoio, o paciente passa bem. A Prefeitura de Santo Antônio da Platina enviou outro veículo à Curitiba e um guincho rebocou a ambulância quebrada ao Norte Pioneiro.

GASTOS

Em 2019, a Prefeitura de Santo Antônio da Platina gastou R$ 736.676,32 com a manutenção da frota municipal. Somente nos dois primeiros meses de 2020, as três oficinas que prestam serviços ao município receberam R$ 46.455,17. Os gastos da atual gestão com as empresas até o momento totalizam R$ 2.035.265,55. Os dados estão disponíveis no Portal da Transparência. 

Servidor denuncia esquema fraudulento em oficina mecânica

Em outubro do ano passado o motorista Joaquim Sanches, lotado na Secretaria Municipal de Saúde denunciou que a prefeitura havia contratado, por licitação, duas empresas para fazer a manutenção mecânica da frota, mas pela constatação, ao menos uma dessas firmas “finge que está consertando os carros”. 

Ele contou o caso de uma ambulância Fiat Doblo, que havia saído da oficina um dia antes de seu uso no transporte de um paciente para Londrina. “Quando entrei no carro percebi que não havia jeito de viajar porque a ambulância não oferecia condições de segurança. O próprio paciente fez questão que o levasse à prefeitura para falar com o Diniz (Airton Sérgio Diniz, secretário de Planejamento). Depois que o secretário vistoriou a ambulância, teria concordado que não dava para viajar”, disse Joaquim Sanches.

Na sequência, acompanhado de um mecânico da prefeitura, o motorista disse que foi à oficina e questionou a qualidade da manutenção, exigindo que desmontassem as rodas as quais teriam sido trocados discos de freios e pastilhas. “Não trocaram nada. Ali só havia as peças velhas!”, denuncia. 

Para Sanches, o problema se repete com outros veículos da frota. “Trata-se de manutenção falsa” e a ambulância apontada por ele, “não é um caso isolado”. 

À época a secretária municipal de Saúde, Gislaine Galvão, informou que seria aberto um processo administrativo para apurar as denúncias. No entanto, segundo a secretária, o processo segue no Departamento de Gestão aguardando a formação das comissões para investigar o caso.

Deixe um Comentário