Editoriais

O QUE DÁ PRA RIR DÁ PRA CHORAR

COLUNA CARLOS BRICKMANN


* Desemprego, miséria? Mas a fome no Brasil “é uma grande mentira”, diz Bolsonaro. Ele, que já rodou o país, garante que não viu nas ruas “pessoas com físico esquelético”. Depois admitiu que, sim, há quem coma mal. Talvez não passe fome por causa das mangueiras, como já disse a ministra da Agricultura, Teresa Cristina: os mais pobres, acha, se alimentam de mangas.

*De Bolsonaro para Rodrigo Maia, por Twitter, durante entrevista do presidente da Câmara a Heraldo Pereira, na GloboNews: “Eu te amo”. Caros leitores, deixemos de lado os maus pensamentos: amor, mas no bom sentido.

*Rodrigo Maia, no mesmo programa, garantiu que não nomearia um filho embaixador, mas que este é um direito que o presidente tem. O deputado, sábio, esqueceu que César Maia ajudou a Câmara a eleger como presidente, que aliás se mostrou à altura do cargo, o seu filho – Rodrigo Maia.

*E como Rodrigo Maia respondeu à twitter-declaração de Bolsonaro? Enviando-lhe um emoji carinhoso, o coraçãozinho vermelho. Meiguíssimo.

*O Ministério da Economia estuda como melhorar a situação daqueles que não só comem mal como passam outras necessidades. Talvez libere o Fundo de Garantia, claro que a prestações. Beleza: assim ajuda os pobres com o dinheiro deles mesmos, que o Governo remunera a juros ridículos.

*O vice, general Mourão disse a Pedro Bial que sempre houve homossexualidade no Exército, mas dentro da disciplina e da hierarquia.

 

E a festa continua

A turma bolsonarista de Twitters e redes sociais decidiu criticar outros embaixadores, para mostrar que em comparação o filho 03 é muito bom. Mas o tipo das críticas é curioso: diz que um ex-embaixador é corno e outro é veado. Aceitemos, para argumentar, que isso seja verdade. Mas será defeito? Durante a Segunda Guerra Mundial, foi Alan Turing que decifrou o código dos nazistas, o Enigma.

Isso permitiu aos ingleses, menos equipados, ganhar a superioridade aérea, já que sabiam onde os alemães iriam atacar e com quantos aviões. Turing, alguns anos depois, foi vítima de campanha por ser homossexual, o que era proibido por lei, e foi para a prisão. Nesta semana, o Governo inglês o homenageou: escolheu sua foto para a nota de 50 libras.

 

Sem fantasia

 

Esperemos que a oposição petista não ataque Bolsonaro por ter dito que no Brasil não há fome. O presidente está errado, mas o PT não pode esquecer que os governos Lula e Dilma proclamaram ter acabado com a fome no país.

 

Mais um

O ex-presidente peruano Alejandro Toledo foi preso nos Estados Unidos, acusado de receber propina da Odebrecht. A globalização é uma realidade: uma empresa brasileira pagando um político peruano que, foragido, com ordem internacional de prisão, acaba sendo capturado pelos americanos.

 

O seu, o meu, o nosso

Uma servidora técnica do Tribunal de Justiça da Bahia se aposentou com salário integral de R$ 49.700,00 – embora o teto salarial de servidor público seja de R$ 39.200,00, o que é pago aos ministros do Supremo Tribunal Federal. Mas, segundo nota do Tribunal de Justiça da Bahia, não há nada de estranho: a coisa é assim mesmo. O salário da servidora é de R$ 8.526,86. Aí se soma um abono permanente de R$ 98,91, estabilidade econômica IP-FC2 (R$ 2.058,62); vantagem pessoal eficiência (R$ 1.117,77); vantagem pessoal AFI (R$ 2.276,70); vantagem pessoal AFI Símbolo (R$ 23.709,64); vantagem do artigo 263 (R$ 9.268,25); e 31% de ATS (R$ 2.643,32).

Sopa de letrinhas? Sem dúvida – mas saber as letras dá boa aposentadoria.

 

Se meu Fusca pagasse

O Semesp, Sindicato das Instituições de Ensino Superior Privado, acaba de concluir um estudo sobre a cobrança de mensalidades nas universidades públicas, que conclui afirmando que a arrecadação seria de pouco mais de R$ 10 bilhões anuais, ou 20% do orçamento das universidades federais.

Este colunista tem outra sugestão, apresentada há anos pelo jornalista Gilberto Dimenstein: que as universidades públicas continuem gratuitas, mas passem a cobrar pelo estacionamento. O rendimento sem dúvida seria maior.

Quem lê tanta notícia

Essa história de que ninguém acredita em imprensa não passa de história. O Instituto Ipsos, em pesquisa internacional, concluiu que o brasileiro é um dos povos que mais confiam em veículos impressos, TV e rádio (65%). Os sites de notícias, em geral ligados à grande imprensa, são bem aceitos por 58% do público. Os brasileiros acreditam (70%, quase vinte pontos percentuais acima da média mundial) que jornais e revistas são relevantes. A pesquisa inteira pode ser vista no link https://bit.ly/2XIrMrq

 

Tá faltando um

A TV Gazeta de São Paulo acaba de retirar do ar um de seus melhores programas: Todo seu, apresentado por Ronnie Von. É pena. E assim também sai o ex-governador Geraldo Alckmin, médico, que dava dicas de saúde.

Deixe um Comentário