Santo Antônio da Platina

Mulher de PM vai embora do PS sem atendimento médico

Policial diz que sala de espera estava vazia quando ele e a mulher chegaram à unidade e mesmo assim ela não foi atendida 

Luiz Guilherme Bannwart


Um soldado da Polícia Militar lotado na 4ª Companhia de Santo Antônio da Platina procurou a reportagem do Portal Tá no Site e da Tribuna do Vale na tarde desta segunda-feira (1º) para denunciar o que classificou como descaso com a população no Pronto-Socorro Municipal.

De acordo com o militar, que pediu para não ser identificado na reportagem, o casal chegou à unidade por volta das 15h50. Sua mulher estava com a pressão alta, dor no estômago e náusea. Ela passou pelo protocolo de classificação de atendimento e retornou para a sala de espera para aguardar ser chamada pela médica que atendia o plantão.

Ainda conforme o policial não havia ninguém na recepção da unidade quando eles chegaram. Porém, aos poucos, a sala de espera começou a ficar lotada e um adolescente que havia acabado de passar pela triagem desmaiou enquanto também esperava pela consulta.

Uma hora depois, exatamente às 16h50, o policial questionou a recepcionista sobre a demora no atendimento à sua esposa, que segundo ele não soube responder a pergunta. O soldado então desistiu de aguardar pelo médico de plantão em razão dos sintomas que sua mulher apresentava e decidiu procurar atendimento particular.

“É muito triste a situação que se encontra o Pronto-Socorro de Santo Antônio da Platina. Hoje, diferentemente das vezes em que estive aqui como policial militar para o atendimento de ocorrências, pude sentir na pele como cidadão o que a população enfrenta no dia a dia. A Administração Municipal precisa colocar pessoas qualificadas para atender a população”, cobrou o policial.

Outro lado

Procurada pela reportagem, a secretária de Saúde Gislaine Galvão disse que a médica que atendia o plantão relatou que no momento em que o policial militar chegou ao Pronto-Socorro com sua mulher, havia cinco pacientes na área interna da unidade, com classificação azul, além de outros quatro pacientes com classificações verde e amarela recebendo atendimento. 

Ainda de acordo com a médica, ela estava manejando pacientes que estavam na enfermaria e também do período da manhã que precisavam de reavaliação. 

A secretária, no entanto, disse que iria notificar a empresa responsável pelo atendimento aos pacientes na recepção, cujos funcionários são treinados para dar informação correta aos usuários do Sistema Público de Saúde (SUS).  

Deixe um Comentário