Salto do Itararé

MPPR investiga escândalo do lixão de Salto do Itararé

Prefeitura faz parte de um consórcio intermunicipal para gestão do lixo urbano, mas continua depositando a céu aberto

Da Assessoria


O Ministério Público do Paraná (MPPR), da comarca de Siqueira Campos e o Gepatria – Grupo Especializado na Proteção ao Patrimônio Público e no Combate à Improbidade Administrativa, núcleo de Santo Antônio da Platina, investigam denúncias envolvendo a prefeitura de Salto do Itararé, por deposição irregular do lixo urbano e graves danos ao meio ambiente.

 Além dessas denúncias, o prefeito Paulo Sérgio Fragoso da Silva, o Paulinho Carijó, poderá responder por  improbidade administrativa, tendo em vista que o município participa de um consórcio intermunicipal para tratamento adequado aos resíduos sólidos, com custos ao erário, mas ao invés de se utilizar do projeto, deposita todo tipo de lixo a céu aberto.

Cenas chocantes! Assim pode ser definida as imagens de vídeos e fotos enviadas à Tribuna do Vale por membros da comunidade que denunciam os desmandos e crimes ambientais envolvendo prefeito Paulinho Carijó.

Ignorando o convênio que formalizou com outros municípios para a gestão do lixo urbano e os danos que causa ao meio ambiente, a prefeitura da cidade continua depositando os detritos sólidos produzidos pela população na área onde funcionava o antigo lixão.

Plásticos, materiais orgânicos, animais mortos e todos tipos de lixo é queimado e a parte que não consumida pelo fogo é aterrada por máquinas que deveriam estar realizando conservação de estradas rurais.

“Além da contaminação do ar, tornando insuportável a vida de quem reside nas proximidades, a deposição de todo tipo de material, inclusive toxico, põe em risco o solo, contaminando o lençol freático”, denuncia o vereador José Nilson dos Santos, o Mané da Ambulância (PT), que vem denunciando os casos de danos ambientais e outras irregularidades.

As imagens flagram as máquinas da prefeitura revolvendo montanhas de lixo e abrindo valas para esconder o crime ambiental. A estrada que liga a cidade até o lixão a céu aberto está toda suja de detritos que caem dos caminhões. Não há qualquer cuidado nem preocupação pelos danos causados ao meio ambiente e a população que utiliza a estrada. O local onde está o lixão apresenta uma imagem chocante.

O vereador Mané da Ambulância relata que a prefeitura possui dois caminhões exclusivos para o transporte do lixo urbano até o aterro sanitário do consórcio intermunicipal que fina no município de Santana do Itararé.

Além de Salto do Itararé, participam do consórcio as prefeituras dos municípios de Santana do Itararé e São José da Boa Vista. Apenas esses dois últimos estão usando o aterro.

Mané da Ambulância explica que houve um desentendimento entre os prefeitos, Joás Michetti, de Santana e Paulinho Carijó, de Salto do Itararé. O primeiro, que sedia o aterro sanitário, não aceitou os desmandos praticados pelo gestor saltense, que estava levando too tipo de detritos para o aterro, descumprindo a legislação ambiental.

Outro lado

Procurado pela reportagem o prefeito Paulinho Carijó informou que o município participava do programa do Aterro Sanitário junto com Santana do Itararé e São José da Boa Vista. No entanto, por um entrave jurídico, relacionado a uma lei do município de Santana do Itararé, teve sua participação suspensa no programa. A situação está sendo discutida judicialmente. 

O prefeito informa que abriu processo licitatório para contratação de empresa para recolhimento e destinação final dos resíduos urbanos, que está em fase recursal. Quanto ao antigo aterro já está fase de estudo para contratação de empresa para recuperação da área, atendendo a determinação de uma Ação Civil Pública de 2004.

Deixe um Comentário