Wenceslau Braz

MPF quer condenação para ex-prefeito que inaugurou creche com risco de desabar

Obra foi interditada dois anos depois da inauguração com risco de desabamento  

Cmei Criança Feliz foi interditado pela Justiça por conta do risco de desabamento
CRÉDITO: ANTÔNIO DE PICOLLI

Da Redação 


Rachaduras nas paredes e até no piso evidenciam o risco á integridade de crianças e funcionários do Cmei Criança Feliz
CRÉDITO: ANTÔNIO DE PICOLLI

O Ministério Público Federal quer a condenação dos gestores e responsáveis pela construção de uma creche que precisou ser interditada por risco de desabamento apenas dois depois da inauguração, em Wenceslau Braz. O Cmei Criança Feliz iniciou as atividades em 2016, na gestão do ex-prefeito Atahyde Ferreira dos Santos Júnior, o Taidinho, porém, com graves problemas estruturais, acabou interditado em 2018. 

Segundo denúncia assinada pelo procurador de Justiça federal Diogo Castor de Mattos, as obras da escola sofreram um atraso de cerca de quatro anos para conclusão e após a entrega foi constatado que o prédio possuía risco de desabamento, causando iminente perigo para crianças e servidores que atuavam no local, sendo, desta forma, imprescindível que as pessoas que causaram este cenário sejam condenadas ao pagamento de danos morais coletivos. 

No local é possível ver rachaduras enormes, que afetam paredes inteiras, e também estão no piso e no teto. O piso também sofre com desníveis e algumas portas e janelas já não abrem em virtude do deslocamento das paredes – o que evidencia o tamanho do dano estrutural da obra. 

O próprio Ministério da Educação apontou erros na execução do projeto, que mesmo assim continuou a ser executado e acabou inaugurado às vésperas das eleições municipais de 2016 sem as devidas correções exigidas.  

Com a interdição do prédio, a prefeitura precisou transferir os alunos para outro espaço, que acabou adaptado para receber as aulas do CMEI enquanto a justiça não define o impasse. 

INELEGÍVEL

A procuradoria ainda pede que os envolvidos percam os direitos políticos pelo prazo de cinco a oito anos, além de ressarcimento integral dos valores e de uma multa, que somados chegam a valores de mais de R$ 7,7 milhões. 

Taidinho, que foi prefeito de Wenceslau Braz entre 2009 e 2016, já lançou pré-candidatura à chefia do Poder Executivo, porém deve enfrentar problemas na Justiça para poder efetivar uma eventual chapa nas eleições majoritárias. Além desta denúncia, o ex-prefeito também responde pela contratação irregular de servidores durante sua administração e está envolvido no escândalo da Associação dos Municípios do Norte Pioneiro (Amunorpi), onde diversos ex-presidentes e ex-funcionários foram denunciados por mau uso de verbas. 

Taidinho foi procurado para comentar as denúncia do Ministério Público Federal, mas ele não atendeu nem retornou as ligações feitas para o seu celular. 

Prefeito nega acusações

O prefeito de Wenceslau Braz, Atahyde Ferreira dos Santos, o Taidinho, como é mais conhecido, em entrevista por celular, de Foz de Iguaçu, se disse alvo de perseguição pela atual administração do prefeito Paulo Leonar, a quem atribui a autoria da denúncia formulada ao Ministério Público Federal (MPF).

Ele nega as acusações e diz que os danos causados à estrutura da creche foram provocados por vazamentos de água do sistema de abastecimento do prédio. “Na minha gestão a creche consumia 50 mil litros de água por mês. Na gestão de meu sucessor, esse consumo pulou para 500 mil litros, uma prova de que havia vazamento. Isso causou as rachaduras”, acusa.

Taidinho diz que ainda nem foi citado e que o processo deve levar pelo menos mais três anos para ter um desfecho, atribuindo as denúncias a uma tentativa de atingi-lo politicamente. “O MPF não tem laudo para embasar o processo. É tudo para fazer circo”, acusou.


Deixe um Comentário