Joaquim Távora

Ministério Público descarta pedir interdição da Frangos Pioneiro

Apesar do número de reincidência de casos de Covid-19 entre funcionários, promotor entende que medidas sanitárias estão sendo aplicadas

MP abriu procedimento para apurar o alto número de funcionários infectados, mas descartou a interdição da Frangos Pioneiro
(foto: frango pioneiro) CRÉDITO: ANTÔNIO DE PICOLLI

Joaquim Távora

Da Redação

O Ministério Público Estadual (MPE) da comarca de Joaquim Távora acompanha com atenção a situação da Frangos Pioneiro, empresa que tem registado um preocupante número de casos de Covid-19 entre os seus funcionários. Apesar de averiguar os fatos e pedir atualizações regulares dos dados, o MP entende que, ao menos nesse momento, não deve interferir em novas restrições com relação à atuação do frigorífico.

A promotoria de fato abriu um procedimento para apurar as circunstâncias que levaram à infecção de funcionários da empresa, porém, de acordo com o promotor Bruno Cachoeira Dantas, a prerrogativa de pedir ou não a interdição da Frangos Pioneiro seria dos órgãos sanitários.

“Temos aberta uma Notícia de Fato, que é como se fosse haver a investigação de um crime, por exemplo, mas para levantar informações sobre a situação envolvendo os casos de Covid-19 entre os funcionários da Frangos Pioneiro. Recolhemos informações com promotorias de outros municípios e pedirmos inúmeras informações à própria Frangos Pioneiro, à 19ª Regional de Saúde e a Vigilância Sanitária de Joaquim Távora. O que observamos é que realmente existem medidas adotadas para proteger os funcionários do contágio e, ao menos por enquanto, a maior preocupação é que essas medidas sejam rigorosamente cumpridas”, pontua o promotor.

Outra situação importante citada pelo promotor diz respeito aos estabelecimentos comerciais no entorno da Frangos Pioneiro, que costumam ter grande movimento especialmente em trocas turno.

Entretanto, após o diálogo com os proprietários desses comércios, foi acordado pelo fechamento das portas nos horários específicos das trocas de turno, evitando assim aglomeração dos funcionários.

Dantas ainda pondera sobre a importância econômica que a empresa tem para a região. “É difícil separar a saúde do trabalho, porque as duas coisas fazem parte do bem estar social de uma pessoa. Ter um emprego é fundamental nesse aspecto, então é preciso ter zelo pelos empregos que são gerados, mas, claro, desde que existam os cuidados tomados. A empresa informou que cedeu mais ônibus para o transporte dos funcionários e pelas informações colhidas com ela e com os outros órgãos realmente existe o cumprimento de medidas preventivas e sanitárias. Da nossa parte é isso. Determinar outras restrições já é uma prerrogativa dos órgãos de saúde e sanitários”, completa o promotor.

Vale lembrar que existem diversos casos de Covid-19 em toda a região atribuídos a funcionários da Frangos Pioneiro. Embora haja uma dificuldade em precisar, uma vez que os boletins do município não retrataram informações sobre as vítimas da doença, municípios como Conselheiro Mairinck, Carlópolis, Guapirama e Tomazina têm grande parte de seus diagnósticos positivos diretamente ligados à empresa.

Em todo caso, em um universo de mais de três mil funcionários, é possível afirmar que o número de casos confirmados entre trabalhadores da empresa represente em torno de 2% da totalidade.

Deixe um Comentário