Santo Antônio da Platina

Mesmo convulsionando, paciente fica sem atendimento no Pronto Socorro

Pronto Socorro de Santo Antônio da Platina continua sendo alvo de reclamações da população
CRÉDITO: ANTÔNIO DE PICOLLI

Da Redação 


Uma denúncia das mais revoltantes acusa o Pronto Socorro de Santo Antônio da Platina de omissão contra uma paciente que convulsionava na recepção enquanto aguardava atendimento médico. Mesmo com o estado de saúde visivelmente agravado, a mulher de 58 anos sequer foi levada à enfermaria. Após cerca de duas horas aguardando em uma cadeira de rodas, foi levada embora por familiares sem ser atendida. 

A situação envolveu Cleide de Fátima, levada à unidade de saúde na segunda-feira (17) pela irmã, Vera Souza, que revoltada com o descaso entrou em contato com a Tribuna do Vale para denunciar a omissão. 

“O que acontece revolta a gente. Minha irmã estava tendo convulsões, avisei que durante a semana passada ela ficou quatro dias na UTI em Jacarezinho com problema no coração, e mesmo assim os atendentes falaram que ela tinha que esperar a vez dela. Por eles a gente morre e ninguém vai ligar”, reclama Vera. 

“Todo mundo a viu tendo convulsões. Como pode ver uma pessoa nesse estado e não fazer nada? Pior que atendem mal a gente, são mal educados. Minha irmã tem a saúde fraca, não tem condição de pagar uma consulta e fica sendo tratada dessa forma”, continua. 

Vera explica que desistiu de esperar e foi embora. Segundo ela, ainda na noite de segunda-feira Cleide voltou a passar mal e foi atendida pelo Samu, sendo internada na sequencia. 

“Conseguimos atendimento graças ao Samu, porque se depender do Pronto Socorro, sem chance. Agora ela está internada, mas porque deu entrada no hospital pelo Samu, e não pelo Pronto Socorro”, completa Vera. 

A reportagem tentou obter esclarecimentos sobre o caso junto à secretária de Saúde de Santo Antônio da Platina, Gislaine Galvão, porém devido a um problema de saúde em sua família a secretária está fora do município neste início de semana. 

SEGUNDO MÉDICO

Há tempos que os pacientes de Santo Antônio da Platina clamam por um segundo médico no Pronto Socorro para atender a demanda do município. A situação foi tão grave em 2019, com direito a Polícia Militar ser chamada diversas vezes, que no fim do ano a câmara de vereadores fez a devolução do duodécimo para que a verba fosse aplicada especificamente na contratação de um segundo médico. 

A medida, se efetivada, iria reduzir consideravelmente a demora no atendimento e aumentar a capacidade de atendimento do Pronto Socorro. Entretanto, ao que parece, os problemas envolvendo a unidade de saúde estão distantes de ter uma solução.

Deixe um Comentário