Bandeirantes Cornélio Procópio Jacarezinho Santo Antônio da Platina Saúde

Medicina da UENP pode ser criado antes da eleição

Da Redação

Para reduzir resistência, comissão propõe curso descentralizado em cinco municípios da região, inclusive Santo Antônio da Platina e Jacarezinho

Hannouche e o pró-reitor da Uenp, Bruno Galindo, em visita às obras dos novos pavilhões que vão abrigar o curso
CRÉDITO: Divulgação

Se depender do prefeito de Cornélio Procópio, Amim Hannouche (PSDB) e da reitoria da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), o curso de Medicina, anunciado há cerca de dois meses para ser instalado no campus de Cornélio Procópio, deverá ser autorizado pela governadora Cida Borghetti (PP) antes das eleições de 7 de outubro. Pelo menos é o que sugere um texto encaminhado pela assessoria de imprensa da prefeitura procopense e distribuído esta semana aos veículos de comunicação.

Na segunda-feira (17) o Conselho Superior de Ensino Pesquisa e Extensão Político Pedagógico da Uenp, aprovou o projeto pedagógico do curso. Interessante que, mesmo sem ter certeza de que o novo curso de graduação será efetivamente aprovado, a direção do campus de Cornélio Procópio já está construindo os pavilhões onde Medicina deverá ser ministrada. Isso ocorre porque a governadora Cida Borguetti já antecipou a liberação de R$ 8 milhões para a universidade.

A proposta aprovada pelo conselho da UENP, numa clara tentativa de reduzir a resistência observada nos Municípios da Amunorpi (Associação dos Municípios do Norte Pioneiro), sugere que o curso de Medicina sediado em Cornélio Procópio seja descentralizado, com atividades teóricas e práticas desenvolvidas na cidade sede e nos municípios de Bandeirantes, São Jerônimo da Serra, Jacarezinho e Santo Antônio da Platina.

É que o anúncio da instalação de medicina em Cornélio Procópio, sem que as autoridades e população da Amunorpi tenham sido consultadas a respeito causou forte reação negativa, principalmente entre os prefeitos, que se sentiram traídos pelos deputados Luiz Cláudio Romanelli (PSB), estadual e Alex Canziani (PTB), federal, tidos como os articuladores da criação do curso na sede da Amunop (Associação dos Municípios do Norte do Paraná).

Na ocasião, um dos que se mostrou mais revoltado foi o prefeito de Ribeirão Claro, Mario Augusto Pereira que desabafou que o Norte Pioneiro foi traído, numa clara demonstração de que a região está “abaixo da sola de sapato”. Segundo uma fonte da UENP, o assunto não teria sido discutido nem mesmo entre os dirigentes do campus de Jacarezinho.

Descentralização

“Estávamos ansiosos pelo resultado avaliativo das comissões da universidade, que aprovaram por unanimidade a instalação do curso em nosso campus. Agora chegamos à etapa de autorização do Governo do Estado que, através da Secretaria Estadual de Ciência e Tecnologia, fará as análises técnica e orçamentária e então decretará a criação do curso”, comemora o prefeito licenciado de Cornélio Procópio, Amin Hannouche, numa demonstração de que o assunto está sendo tratado como questão emergencial, antes das eleições que acontecem dentro de 16 dias.

Os organizadores já antecipam que o primeiro vestibular deve acontecer em janeiro 2019. “As obras dos novos blocos da Uenp, que receberão as aulas do curso de Medicina, está em adiantada fase de construção. Estamos felizes ao transpormos as etapas que possibilitam esta importante conquista não apenas para Cornélio, mas também para toda a região”, revela a prefeita em exercício Angélica Olchaneski.

Nos estudos apresentados pela universidade, o curso de medicina terá sede em Cornélio Procópio, mas funcionará de forma descentralizada. Cinco cidades receberão os acadêmicos para atividades, ou nos campi universitários, para aulas teóricas, ou em hospitais das cidades, para aulas práticas. Os municípios que receberão estes alunos serão Jacarezinho, com atividades em um hospital; Bandeirantes, com aulas em laboratórios do campus e também atividades no hospital local; Santo Antônio da Platina, que terá aulas práticas também em sua unidade hospitalar; São Jerônimo da Serra, que disponibilizará atividades no Hospital Humanitas, e Cornélio Procópio que terá aulas teóricas no campus e práticas nos hospitais da cidade.

Reitora

“Por ser um curso em que os acadêmicos de Medicina terão aulas também em outros campi, tivemos manifestações de apoio importantíssimas para a elaboração desse projeto. De nossa equipe quero destacar a dedicação do nosso vice-reitor, Fabiano Gonçalves Costa, do nosso professor Bruno Galindo, do professor Ricardo Castanho Moreira, do campus de Bandeirantes, do pró-reitor de graduação e professor Rafael Gonçalves de Oliveira, do campus de Jacarezinho. A dedicação deles foi imprescindível para que o resultado desse projeto fosse aprovado pelas comissões”, enfatizou a reitora da Uenp, professora Fátima Aparecida da Cruz Padoan.

Prefeito

Quem se mostra mais ansioso é o prefeito Amin Hannouche, que na última terça-feira (18), mesmo licenciado da prefeitura, viajou para Curitiba numa clara tentativa de acelerar o processo. “Mesmo estando licenciado estou a caminho de Curitiba para requerer ao governo do Estado a agilidade de análise técnica e orçamentária do projeto encaminhado para a Secretaria de Ciência e Tecnologia”, revelou.

Vencida a fase de análise na secretaria, o projeto será encaminhado para o gabinete da governadora Cida Borghetti para elaboração e assinatura do decreto que cria oficialmente a graduação de Medicina em Cornélio Procópio.

Deixe um Comentário

%d blogueiros gostam disto: